Um conteúdo Bússola

Renner implanta tecnologia 4.0 para agilizar reposição de estoque

Impressão de estampas passa a ser feita feita diretamente em centro de distribuição, otimizando a cadeia logística
Renner: companhia investiu R$ 5 milhões em equipamento de estamparia digital. (Marcos Gouveia/ Renner/Divulgação)
Renner: companhia investiu R$ 5 milhões em equipamento de estamparia digital. (Marcos Gouveia/ Renner/Divulgação)
D
Da RedaçãoPublicado em 11/05/2021 às 09:00.

Por Bússola

Uma inovação implementada pela Renner em um dos seus centros de distribuição tem contribuído para agilizar  a reposição de estoque da companhia. Trata-se de uma máquina digital que possibilita a impressão de estampas em peças de roupa diretamente no centro de distribuição. Com isso, a empresa pode produzir localmente os produtos encomendados, sem reiniciar o processo de encomenda junto aos fornecedores.

Com investimento inicial de R$ 5 milhões, a solução está em operação em Arujá (SP), produzindo cerca de 30 mil peças por mês. A mecânica é simples: o centro de distribuição passa a receber, além das roupas prontas, algumas peças “cruas”, que receberão impressão da estampa no local, conforme a necessidade de reposição das peças, enviada em tempo real.

No modelo produtivo tradicional, é necessário encomendar a reposição junto aos fornecedores, em um ciclo de fabricação e distribuição que leva até três semanas. Com a impressão diretamente no local de distribuição sobre peças de roupa básicas, o ciclo se reduz a poucas horas. A máquina pode imprimir sobre qualquer tipo de tecido, de malha ao jeans. O tempo entre o envio do comando online até a finalização é de um minuto.

“Esse novo processo de estamparia está alinhado à estratégia da Renner de introduzir soluções da Indústria 4.0, incorporando tecnologias avançadas à cadeia de fornecimento. É um projeto piloto que vem para agregar valor ao negócio”, afirma Henry Costa, diretor de Produto da Lojas Renner.

O equipamento tem conectividade com outros softwares e permite avançar na integração com sistemas de logística. Além disso, toda customização é feita por computadores, garantindo celeridade ao abastecimento.

Além disso, a máquina dispensa o uso de água para realizar a estamparia, feita com tinta não tóxica. Isso é possível pois o tingimento é desenvolvido a partir de fibras naturais. Ao simplificar a cadeia logística, a empresa também reduz a necessidade de transporte, evitando a emissão de poluentes na etapa de distribuição.

Experiência de compra

Uma segunda etapa do projeto está programada para junho, com foco na customização: os clientes poderão personalizar estampas no e-commerce da Renner em poucos cliques. Pelo site e pelo app, será possível criar o design individual, selecionando imagens e caracteres, alterando cores e escrevendo frases, por exemplo. A impressão será feita pela mesma máquina no CD.

Até 2025, a Renner planeja levar a inovação a outros pontos de distribuição no país e, em um futuro próximo, para dentro das próprias lojas. Desta forma, o cliente poderá montar a peça de sua preferência diretamente no ponto de venda, acompanhar a impressão em tempo real e, em poucos minutos, levar as compras para casa.

Ao final de 2020, 17% dos itens produzidos pela Renner já eram distribuídos de forma automatizada, inclusive com a ajuda de modelos preditivos, em que algoritmos definem a demanda por peça e por loja. O uso de máquinas e tecnologias digitais também está presente na área de pilotagem, uma oficina de corte, modelagem e costura, e vem reduzindo não só a quantidade de versões de amostras produzidas, mas também o transporte para trocas com os fornecedores.

Siga Bússola nas redes: Instagram | LinkedinTwitter  |   Facebook   |  Youtube