Bússola
Um conteúdo Bússola

Media Hero: a startup de 1 ano que já ajuda a orquestrar R$ 3 bilhões em marketing

Plataforma traz aplicação prática de Inteligência Artificial para resolver a maior dor dos CMOs: onde e como investir

A solução foi criada por quem já sentiu a dor dos anunciantes (Media Hero/Divulgação)

A solução foi criada por quem já sentiu a dor dos anunciantes (Media Hero/Divulgação)

Bússola
Bússola

Plataforma de conteúdo

Publicado em 2 de maio de 2024 às 14h29.

Tudo sobreInteligência artificial
Saiba mais

Mensurar retorno dos investimentos em mídia e planejar crescimento é uma dor constante para os  CMOs, e CFOs ainda têm dificuldade de discutir o orçamento de marketing com propriedade. 

A startup brasileira Media Hero criou uma solução proprietária de inteligência artificial para conectar diretamente os  investimentos em marketing com resultados de negócio, do TikTok ao ponto de venda, da novela ao clique no carrinho de compras.  

E os CEOs agradecem  

A revolução está começando agora dentro dos departamentos de marketing mais sofisticados do  país. Em menos de um ano de operação, a startup já ganhou a confiança de empresas como Nubank, Boticário, Duracell, Sallve, Boehringer-Ingelheim, Iguatemi, Sunless, AlmapBBDO, Wieden+Kennedy,  David, Omie e Gauge.  

Já passaram pela nossa plataforma R$ 3 bilhões em investimentos, e esse número está crescendo. Novos clientes multinacionais estão agora em processo de implementação. Estamos na fronteira do desenvolvimento tecnológico e científico possibilitado por IA para entender causa e efeito”, diz o fundador Marcelo Ferronato. 

Uma ideia que surgiu da experiência

A solução foi criada por quem já sentiu a dor dos anunciantes. Marcelo iniciou sua carreira na P&G e  passou por Burger King, McDonald’s e Red Bull, onde era diretor de marketing até decidir montar a Media Hero.

Ao longo de quase 15 anos, planejei e investi meu orçamento de maneira fragmentada. Eu precisava de uma ferramenta que juntasse marketing mix modeling, planejamento de mídia e  projeção de vendas de maneira constante. Como isso não existia, decidi criar”. 

Como funciona?

A ferramenta integra dados de negócio, dados de mídia e dados de contexto dos brasileiros, e usa  Machine Learning Causal para entender como os estímulos de marketing se combinam com contexto para a geração de uma venda.  

A partir de uma análise que roda milhões de modelos estatísticos com uma base proprietária, a Media Hero mostra a contribuição de cada plano para a construção do resultado, e diz como a marca precisa investir para entregar crescimento, por veículo, por formato de mídia e por região do país.  

Marcelo se juntou a Gustavo Ioschpe, CEO e fundador da empresa Big Data, para estruturar a solução. “A Big Data já tinha uma proposta muito forte de IA para equipes de vendas, mas faltava uma para  equipes de marketing. Agora criamos a primeira ferramenta de growth que integra todos os esforços  dos anunciantes, de Google Ads até OOH (Midia Out Of Home), de TV até Retail Media, de influenciadores até o ponto de  venda, de TikTok até a execução de eventos. Isso só é possível com o uso de tecnologia e inteligência  artificial”, diz Ferronato.  

O time conta com PhDs, engenheiros e cientistas do ITA e da USP, e profissionais que têm visão de  negócio enxergando a mídia como investimento e não como custo. Julia Asakawa, que até janeiro era diretora de mídia e dados da P&G, decidiu se juntar à equipe. “Enxerguei uma revolução quando vi  o software da Media Hero. Fico muito feliz de entrar em uma empresa que já consegue entregar  incremento de resultados e economia de orçamento aos clientes em tão pouco tempo”, diz a nova  COO da empresa.  

O plano é consolidar o crescimento nacional e expandir a atuação para fora do país em breve. Além  dos clientes, alguns grupos de tecnologia, de mídia e de agências já se interessam pela empresa. “Isso  mostra que estamos no caminho certo, pela maneira como conectamos marketing a negócio tão  diretamente, gerando resultados”, finaliza Marcelo.

Acompanhe tudo sobre:Inteligência artificialmarketing-digital

Mais de Bússola

Paulo Roberto Ribeiro Pinto: marginalizar as hidrelétricas é um erro

Márlyson Silva: por que o adiamento do Drex é uma boa notícia?

Análise do Alon: lentes que não servem mais

Fintech com apenas 4 anos fecha parceria que pode garantir seu primeiro bilhão em transações

Mais na Exame