Brasil

Vacina da gripe: São Paulo começa a aplicar imunizante em novos grupos; confira

Quem não está nos grupos selecionados pode optar pela vacina contra a gripe na rede privada, que oferece o imunizante com custo

Gripe: vacina será aplicada em novos grupos na cidade de São Paulo.  (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Gripe: vacina será aplicada em novos grupos na cidade de São Paulo. (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Estadão Conteúdo
Estadão Conteúdo

Agência de notícias

Publicado em 17 de abril de 2023 às 12h25.

A segunda etapa da campanha de imunização contra a gripe na cidade de São Paulo terá início nesta segunda-feira, 17. De acordo com a Secretaria Municipal da Saúde, profissionais da saúde, da educação e pessoas com comorbidades, assim como outros grupos poderão ser imunizados.

A vacinação contra a gripe está disponível em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs), com funcionamento de segunda-feira a sexta-feira, das 7h às 19h.

Já nas unidades das Assistências Médicas Ambulatoriais (AMAs)/UBSs Integradas, o atendimento é das 7h às 19h, inclusive aos sábados e feriados.

Quem faz parte da primeira etapa da campanha, iniciada na segunda-feira, 10, e ainda não recebeu a vacina, deve procurar uma das unidades de imunização para receber a vacina.

Conforme a Secretaria Municipal da Saúde, há 1,4 milhão de doses destinadas pelo Ministério da Saúde à capital paulista, que serão aplicadas inicialmente nos grupos prioritários. Posteriormente, outros públicos poderão ser incluídos, como ocorreu em anos anteriores.

Segunda etapa a partir de 17 de abril:

  • Profissionais de saúde
  • Profissionais de educação
  • Pessoas com deficiência permanente
  • Pessoas com comorbidades
  • Profissionais de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso
  • Profissionais portuários
  • Profissionais das forças de segurança e salvamento
  • Profissionais das Forças Armadas
  • Profissionais do sistema prisional e população privada de liberdade, incluindo adolescentes em medidas socioeducativas

Primeira etapa que teve início em 10 de abril:

  • Pessoas acima de 60 anos
  • Crianças a partir de 6 meses a menores de 6 anos de idade
  • Gestantes
  • Puérperas (até 45 dias após o parto)
  • Imunossuprimidos
  • Indígenas

Quem não está nos grupos selecionados pode optar pela vacina contra a gripe na rede privada, que oferece o imunizante com custo.

Vacinação contra covid-19

A vacinação contra a covid-19 continua disponível para crianças a partir de seis meses na cidade de São Paulo, de acordo com o imunizante e doses recomendadas para cada faixa etária.

Já a vacina Pfizer bivalente está disponível desde a semana passada para profissionais da saúde, pessoas com deficiência física permanente, população privada de liberdade, funcionários do sistema prisional e pessoas com comorbidades.

Anteriormente, o imunizante já estava liberado para grávidas e puérperas, pessoas com mais de 60 anos, residentes em instituições de longa permanência, funcionários destes estabelecimentos, pessoas com imunossupressão e indígenas com mais de 12 anos.

Podem receber a vacina as pessoas dos grupos citados acima que completaram o esquema básico ou que já receberam doses de reforço, respeitando o intervalo de quatro meses da dose mais recente recebida.

Entre a bivalente ou qualquer uma das doses contra a covid-19 e a vacina contra a gripe não há necessidade de se fazer intervalo inclusive podem ser tomadas no mesmo dia. Com exceção para a imunização contra o novo coronavírus para crianças até 11 anos, em que deve haver um intervalo de 15 dias entre as aplicações.

Multivacinação infantil

Também nas UBSs e AMAs/UBSs Integradas permanece a multivacinação infantil, sendo importante os pais ou responsáveis atualizarem a caderneta de vacinação das crianças.

Entre as vacinas disponíveis estão: tríplice viral (sarampo, caxumba e rubéola), tetraviral (sarampo, caxumba, rubéola e varicela), BCG, pentavalente e vacina inativada poliomielite (VIP). Meninas e meninos de 9 a 14 anos também podem receber a vacina contra o HPV.

Acompanhe tudo sobre:GripesVacinasCoronavírus

Mais de Brasil

Chuva deve voltar ao Rio Grande do Sul nesta segunda-feira

Apenas 11% das escolas têm internet na velocidade certa, diz pesquisa

Julgamento que pode cassar Jorge Seif ficará para Cármen Lúcia após saída de Moraes do TSE

Rio Grande do Sul: Defesa Civil contabiliza 200 toneladas de alimentos doados

Mais na Exame