Brasil
Acompanhe:

Unicamp volta a obrigar máscara em sala de aula; Unesp recomenda uso

Os ambientes em que o protetor facial é obrigatório incluem bibliotecas, laboratórios, refeitórios e sistemas de transporte

As aulas presenciais foram mantidas, com o uso de robôs educacionais para inclusão de estudantes afastados por suspeita ou com covid-19 confirmada (Thanit Weerawan/Getty Images)

As aulas presenciais foram mantidas, com o uso de robôs educacionais para inclusão de estudantes afastados por suspeita ou com covid-19 confirmada (Thanit Weerawan/Getty Images)

E
Estadão Conteúdo

11 de novembro de 2022, 14h06

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) voltou a obrigar o uso de máscara de proteção contra a covid-19 em ambientes fechadas, inclusive as salas de aulas.

A decisão, tomada em reunião do comitê científico de contingenciamento do coronavírus na noite desta quinta-feira, 10, levou em conta o novo cenário epidemiológico, com aumento de pessoas com sintomas respiratórios e casos positivos identificados na universidade nas duas últimas semanas. A medida já está vigor nesta sexta-feira, 11.

Os ambientes em que o protetor facial é obrigatório incluem bibliotecas, laboratórios, refeitórios e sistemas de transporte, como ônibus fretados dos campi e colégios de Campinas, Piracicaba e Limeira, no interior de São Paulo. As máscaras precisam ser cirúrgicas ou do tipo PFF2. O comitê recomendou que nos refeitórios, as refeições sejam rápidas e sem conversação.

As aulas presenciais foram mantidas, com o uso de robôs educacionais para inclusão de estudantes afastados por suspeita ou com covid-19 confirmada. As aglomerações, incluindo festas e eventos de grandes proporções, devem ser evitadas. Pessoas com sintomas não devem frequentar os campi universitário. As novas regras incluem ainda o esquema vacinal completo com as doses de reforço para os maiores de 18 anos.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

Unesp

O Comitê Unesp Covid-19, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), também se reuniu nesta quinta-feira, 10, para avaliar os impactos da nova onda de casos devido às novas variantes em circulação, mas manteve a recomendação do uso de máscara em ambientes internos, sem a obrigatoriedade.

Reforçou, no entanto, que as diretorias das 34 unidades universitárias presentes em quase todas as regiões administrativas do Estado têm autonomia para adotar medidas, inclusive a obrigatoriedade do uso do protetor facial, levando em conta a realidade local.

LEIA TAMBÉM:

Primeira fase do vestibular da Unicamp será neste domingo

Transição terá nomes do PT e do Plano Real na economia e Tebet na área social