• AALR3 R$ 20,34 1.40
  • AAPL34 R$ 67,96 -2.78
  • ABCB4 R$ 17,36 4.52
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.77
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,75 0.66
  • AGRO3 R$ 30,95 1.08
  • ALPA4 R$ 20,84 -0.48
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,71 1.17
  • AMAR3 R$ 2,45 4.26
  • AMBP3 R$ 30,53 -2.12
  • AMER3 R$ 23,10 0.65
  • AMZO34 R$ 67,45 -0.34
  • ANIM3 R$ 5,50 -0.72
  • ARZZ3 R$ 81,36 -0.60
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,23 0.00
  • B3SA3 R$ 11,82 2.34
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
  • AALR3 R$ 20,34 1.40
  • AAPL34 R$ 67,96 -2.78
  • ABCB4 R$ 17,36 4.52
  • ABEV3 R$ 14,11 -0.77
  • AERI3 R$ 3,72 -1.59
  • AESB3 R$ 10,75 0.66
  • AGRO3 R$ 30,95 1.08
  • ALPA4 R$ 20,84 -0.48
  • ALSO3 R$ 19,10 -1.29
  • ALUP11 R$ 26,71 1.17
  • AMAR3 R$ 2,45 4.26
  • AMBP3 R$ 30,53 -2.12
  • AMER3 R$ 23,10 0.65
  • AMZO34 R$ 67,45 -0.34
  • ANIM3 R$ 5,50 -0.72
  • ARZZ3 R$ 81,36 -0.60
  • ASAI3 R$ 15,39 -0.06
  • AZUL4 R$ 21,23 0.00
  • B3SA3 R$ 11,82 2.34
  • BBAS3 R$ 35,68 -0.64
Abra sua conta no BTG

Tarcísio vai aos EUA e Europa vender superconcessões de infraestrutura

Ministério da Infraestutura prepara roadshows em outubro e novembro com fundos de investimentos e operadoras de infraestrutura para atrair capital para mega leilões
Tarcísio de Freitas, ministro da Infraestrutura, vai aos EUA, Europa e Dubai apresentar projetos de infraestrutura (Getty Images/EVARISTO SA / AFP)
Tarcísio de Freitas, ministro da Infraestrutura, vai aos EUA, Europa e Dubai apresentar projetos de infraestrutura (Getty Images/EVARISTO SA / AFP)
Por Carla AranhaPublicado em 31/08/2021 16:11 | Última atualização em 31/08/2021 16:27Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Com o abrandamento da pandemia, o ministro Tarcísio de Freitas, da Infraestrutura, deve se lançar na estrada, com roadshows programados para outubro e novembro em três continentes, nos Estados Unidos, Europa e Ásia, de acordo com informações obtidas com exclusividade por EXAME. O objetivo é apresentar os grandes projetos de infraestrutura e pavimentar o caminho para a captação de investimentos para as superconcessões com data marcada entre o final de outubro e novembro, que devem atrair 23 bilhões de reais. O primeiro roadshow deverá ser nos Estados Unidos, em outubro.

  • Entenda como as decisões do Planalto, da Câmara e do Senado afetam seus investimentos. Assine a EXAME.

O ministro Tarcísio de Freitas e Natália Marcassa, secretária de Fomento, Planejamento e Parceria, deverão passar uma semana em Nova York, ao lado de outros representantes da pasta, para uma série de reuniões com CEOs de fundos como o Lazard, com um portfolio de 8,3 bilhões de dólares em infraestrutura, BlackRock, GIP e Macquarie, que vem investindo no Brasil recentemente e abriu escritório em São Paulo. Também está programado um dia de encontros com as principais agências de ratings com sede em Nova York. Elas classificam não só o risco país, mas também os projetos de infraestrutura, em um trabalho interno feito para clientes.

Em novembro, a equipe embarca para a Europa. A ideia, novamente, é apresentar o pipeline de projetos de infraestrutura, que inclui o leilão da Dutra, no final de outubro, de sete terminais portuários em novembro e dos aeroportos Santos Dumont e Congonhas em 2022. A agenda, no continente europeu, deverá ser focada em grandes operadores, como a alemã Fraport, que ganhou as concessões dos aeroportos de Porto Alegre e Fortaleza, e Cintra. A pasta ainda está definindo quais países serão visitados.

Em seguida, a equipe parte para Dubai, no Oriente Médio, onde será realizada uma feira mundial de negócios e inovação, a Expo Dubai. A comitiva brasileira deve participar do Dia do Brasil, em 15 de novembro, quando deverão estar presentes investidores potencialmente atentos a oportunidades no país.

Comenta-se no mercado que alguns dos principais grupos no Brasil interessados nos leilões de infraestrutura estão organizando operações de follow-on (oferta subsequente de ações) para se capitalizar. Como de praxe, a movimentação dessas empresas deverá ser levada às reuniões com investidores no exterior. “Existe um objetivo de curto e médio prazo de atrair capital para esses projetos”, diz Marcassa.

A agenda ESG deverá ser um dos principais pontos dos encontros. Uma auditoria realizada pela E&Y permitiu a pré certificação, com o selo Climate Bond, dos contratos de licitação de ferrovias, considerado um dos modais menos poluentes. O mesmo deverá ser feito com em relação aos aeroportos a serem licitados – os trabalhos deverão ser finalizados em até 90 dias. “Essa etapa de certificação permite que a concessionária que ganhar o leilão obtenha rapidamente um selo verde e é algo visto com bons olhos pelo mercado internacional”, diz Marcassa.