SP tem domingo cinzento e com chuva intensa; na Bahia, tempestade deixa duas crianças mortas

São Paulo amanheceu chuvosa neste domingo; Defesa Civil alertou população tome cuidado pelas próximas horas

 (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
(Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Publicado em 28 de janeiro de 2024 às 10h51.

Última atualização em 28 de janeiro de 2024 às 11h50.

A cidade de São Paulo amanheceu chuvosa neste domingo, 28. Segundo a Defesa Civil de SP, a chuva se desloca sobre a Zona Sul da capital, atingindo a Zona Leste, Centro e áreas próximas. "Há vento e raios. Se necessário, busque abrigo e tenha cuidado nas próximas horas", afirmaram as autoridades na rede social X, antigo Twitter.

No sábado, o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas) decretou estado de atenção em toda a cidade, com exceção da zona sul, por conta das chuvas. De acordo com o centro de monitoramento, foram registrados três pontos de alagamentos, sendo dois na zona leste e um na zona oeste da capital. Para domingo, a previsão é de pancadas isoladas de chuva de moderada a forte intensidade entre a tarde e o início da noite, segundo o CGE. A temperatura mínima esperada é de 18 °C e máxima, de 27 °C.

São Paulo entra em estado de atenção para alagamentos

As fortes chuvas atingem a cidade de São Paulo a colocam em estado de atenção para alagamentos. Na zona leste da capital paulista, o alerta foi emitido por volta das 10h30, enquanto em outras regiões o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da Prefeitura de São Palo já fazia o alerta desde as 10h12. Por volta das 10 horas, o tempo fechou em diversos bairros.

Estado de emergência para alagamentos

Zona leste às 10h27

Zona norte às 10h12

Zona sul às 10h12

Zona sudeste às 10h12

Zona oeste às 10h12

Centro às 10h12

Marginal Pinheiros às 10h12

Marginal Tietê às 10h12

Chuva generalizada

Na Bahia, ao menos duas crianças morreram em decorrência das fortes chuvas que atingem o Estado. De acordo com a Superintendência de Proteção e Defesa Civil da Bahia (Sudec), a tragédia aconteceu na sexta-feira, 26, em Elísio Medrado, cidade do interior, após o carro em que estavam cinco pessoas ter sido arrastado pela correnteza do Rio Paraguaçu. Até sábado, 27, ao menos doze municípios estavam em situação de emergência. O órgão estadual ainda contabiliza o número de desabrigados e desalojados.

“É importante ressaltar que as prefeituras municipais ainda estão realizando o levantamento das informações necessárias dos danos e prejuízos causados pelas chuvas intensas. Assim que os dados forem encaminhados para a Sudec, serão compilados e veiculados pelo órgão.”

A Sudec afirma ainda que está monitorando os municípios baianos atingidos pelas fortes chuvas nos últimos dias e desenvolvendo ações de resposta imediata a fim de minimizar os impactos sofridos pelas população afetada.

“Neste momento, está sendo prestado todo suporte técnico aos municípios e envio de kits de ajuda humanitária, contendo cestas básicas, água mineral, itens de higiene e limpeza, colchões e cobertores”, acrescentou a pasta.

Medidas devem ser adotadas para amenizar os efeitos dos alagamentos

  • Evite transitar em ruas alagadas;
  • Se a chuva causou inundações, não se aventure a enfrentar correntezas;
  • Fique em lugar seguro. Se precisar, peça ajuda;
  • Mantenha-se longe da rede elétrica e não pare debaixo de árvores;
  • Abrigue-se em casas e prédios;
  • Planeje suas viagens, para que haja menor possibilidade de enfrentar engarrafamentos causados por ruas bloqueadas;
  • Em caso de dúvida sobre vias bloqueadas, ligue para a central de atendimento da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) por meio do número 156 ou entre no site da CET para saber como está o trânsito nas principais vias.

(Com Estadão Conteúdo)

Acompanhe tudo sobre:Chuvassao-pauloBahia

Mais de Brasil

Lula cobra articulação política de Alckmin e Haddad

Pasta da Saúde fecha acordo com Moderna para compra de 12,5 milhões de vacinas contra covid

Vamos ampliar pagamento do Pé-de-Meia para todos os estudantes inscritos no CadÚnico, afirma Lula

Lewandowski defende alterar Constituição para aumentar poder da União na segurança pública

Mais na Exame