Brasil

Projeto limita o número de ingressos comprados pela internet

O texto, que tramita na Câmara, é de autoria do deputado Gilberto Abramo (Republicanos-MG)

Ingressos; Shows, ticket; ingresso (Christopher Lee/Getty Images)

Ingressos; Shows, ticket; ingresso (Christopher Lee/Getty Images)

O Projeto de Lei nº 2.942/22 limita a quantidade de ingressos que podem ser comprados pela internet para eventos abertos ao público. Pelo texto, fica proibida a venda de mais de quatro ingressos por CPF e mais de 12 por CNPJ para cada data da realização do evento.

O texto, que tramita na Câmara dos Deputados, é de autoria do deputado Gilberto Abramo (Republicanos-MG). Segundo ele, a ideia é conter a atuação de intermediários, os “cambistas”, na venda de ingressos.

“O que tem ocorrido, provavelmente com a conivência dos próprios realizadores de eventos públicos, é que os cambistas têm se apropriado da maior parte dos ingressos ofertados para venda a um preço abusivo logo após o término da venda oficial”, ressaltou o parlamentar.

O descumprimento das regras previstas no projeto sujeita o infrator às penalidades do Código de Defesa do Consumidor.

Tramitação
A proposta, que tramita em caráter conclusivo, será analisada pelas comissões de Defesa do Consumidor; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Acompanhe tudo sobre:Internet

Mais de Brasil

Julgamento de Sergio Moro no TSE: veja horário e como assistir ao vivo

Greve do Metrô de SP: Justiça determina 100% da operação em caso de paralisação nesta quarta

Brasil ultrapassa 5 milhões de casos prováveis de dengue

TSE afirma ter 570 mil urnas eletrônicas em estoque, número suficiente para cobrir danos no RS

Mais na Exame