Brasil

Projeto eleva para 8 as parcelas de seguro-desemprego na demissão sem justa causa depois dos 50 anos

Vínculo empregatício tem de ter sido de no mínimo 24 meses

Desemprego: para ter direito a oito parcelas do benefício, o trabalhador terá de comprovar vínculo empregatício por no mínimo 24 meses (Amanda Perobelli/Reuters)

Desemprego: para ter direito a oito parcelas do benefício, o trabalhador terá de comprovar vínculo empregatício por no mínimo 24 meses (Amanda Perobelli/Reuters)

O Projeto de Lei nº 2.761/22 aumenta de cinco para oito o número de parcelas do seguro-desemprego a ser recebida pelo trabalhador demitido sem justa causa após os 50 anos de idade. O texto em análise na Câmara dos Deputados altera a Lei 7.998/90, que regulamentou o Programa do Seguro-Desemprego.

Conforme a proposta, para ter direito a oito parcelas do benefício, o trabalhador terá de comprovar vínculo empregatício com pessoa jurídica ou pessoa física a ela equiparada de, no mínimo, 24 meses no período de referência.

“A ideia é atenuar os impactos de uma demissão na terceira idade. O seguro-desemprego poderá contribuir para que o trabalhador busque qualificação e continue pagando a contribuição previdenciária”, disseram os autores da proposta, o deputado Bira do Pindaré (PSB-MA) e outros oito parlamentares.

Tramitação

O projeto tramita em caráter conclusivo e será analisado pelas comissões de Trabalho, de Administração e Serviço Público; de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

LEIA TAMBÉM:

Quantas vezes o funcionário pode faltar para ser demitido por justa causa?

Trabalho temporário e trabalho intermitente em época de final de ano: você sabe a diferença?

Acompanhe tudo sobre:DesempregoSeguro-desemprego

Mais de Brasil

STF forma maioria para negar habeas corpus a Bolsonaro

Rio Grande do Sul: Eduardo Leite anuncia medidas para reconstrução do estado após tragédia

Governo do RS vai pagar R$ 2.500 para afetados pelas enchentes; saiba como vai funcionar

Censo 2022: taxa de analfabetismo entre pretos e pardos é mais que o dobro do que entre brancos

Mais na Exame