Brasil

Porto Alegre não investiu nada em prevenção a enchentes em 2023, diz UOL

Já o número de funcionários da área caiu quase 48% desde 2013

Especialistas também alertam para o aumento nos casos de doenças como dengue e leptospirose  ( Carlos FABAL / AFP)

Especialistas também alertam para o aumento nos casos de doenças como dengue e leptospirose ( Carlos FABAL / AFP)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 7 de maio de 2024 às 09h01.

Última atualização em 7 de maio de 2024 às 17h01.

Tudo sobreEnchentes no RS
Saiba mais

A Prefeitura de Porto Alegre não investiu nada em prevenção a enchentes em 2023. A situação aconteceu mesmo com o departamento que cuida da área tendo lucro de R$ 428,9 milhões em caixa.

Segundo reportagem de Felipe Pereira ao UOL, o investimento para prevenção a enchentes caiu dois anos seguidos em Porto Alegre. Em 2021, foram gastos R$ 1,7 milhão contra enchentes. Em 2022, R$ 141 mil. No ano passado, nenhum centavo.

Os dados foram obtidos pelo Portal da Transparência, segundo o UOL.

Apesar da falta de investimentos, existe dinheiro em caixa. O Departamento Municipal de Águas e Esgotos, responsável por cuidar da gestão desta área, tem R$ 428,9 milhões disponíveis. São os chamados "ativos circulantes", que podem ser convertidos em dinheiro em até 12 meses.

Além disso, o departamento teve um lucro milionário ano passado. Segundo reportagem do UOL, houve um superávit de R$ 31,1 milhões em 2023.

Já o número de funcionários do departamento sofreu cortes ao longo de 10 anos. Em 2012 o DMAE tinha 2.049 de servidores. Dez anos depois, esse número era de 1.072, redução de quase 48%.

Apesar da redução de pessoal, o prefeito Sebastião Melo rejeitou a contratação de 443 funcionários. A Secretaria Municipal da Fazenda havia autorizado abrir as novas vagas em 2022, mas o procedimento foi interrompido ano passado pelo prefeito.

Tragédia já matou mais de 85 pessoas no RS

O desastre das chuvas no Rio Grande do Sul segue aumentando no número de vítimas, feridos e atingidos pelas enchentes. O último boletim divulgado pela Defesa Civil gaúcha na noite desta segunda-feira, 6, aponta que já são mais de 85 mortos em todo o estado, 134 desaparecidos e 339 feridos. Ainda há quatro mortes suspeitas de estarem ligadas ao temporal.

Ao todo, a Defesa Civil denota que 385 municípios do Rio Grande do Sul foram atingidos pelas enchentes e chuvas. São mais de 1.178.226 pessoas afetadas, sendo 47.676 levadas para abrigos. 13.824 moradores também estão desalojados. Já são 789 escolas de 216 municípios afetadas pelas chuvas, que deixaram 273.137 estudantes impactados e 386 colégios danificados de alguma forma. Entre as unidades de ensino, 52 estão servindo de abrigo para desalojados.

Chave Pix: 87027595000157 (CNPJ)
Banco: Sicredi

Comunitas

A organização criou um fundo de apoio à reconstrução do Rio Grande do Sul após a forte chuva que atingiu o estado. O "Reconstrua RS" será modelado por meio de uma gestão compartilhada, comitês de atuação e execução privada e com ações prioritárias, entre elas a reorganização das escolas para o retorno das aulas.

Doações para ações de reestruturação: CNPJ 03.983.242/0001-30
Banco do Brasil - 001
Agência 1195-9
Conta-corrente 600.650-7
Para mais informações, contato pode ser feito via reestruturars@comunitas.org.br

Rede de Bancos de Alimentos do RS e Bancos Sociais

Para ajudar, não é preciso sair de casa. Basta contribuir via Pix, depósito bancário ou via site oficial Doe Alimentos, da Rede de Bancos de Alimentos do RS.

Site: http://www.doealimentos.com.br
Pix: CNPJ - 04.580.781/0001-91
Conta-corrente: Banco Santander
Agência: 1001
Conta: 13.000.284-4

Coleta de itens

A CVC está disponibilizando as mais de mil lojas em todo o Brasil para coleta de doações. Após arrecadação, a distribuição será feita por meio de uma parceria com a Azul, Gol Jamef Logística e Latam.

A CVC informa que os interessados em participar podem realizar a entrega de itens nas lojas da operadora de turismo de amanhã, 6, até domingo, dia 12 de maio. Os itens aceitos são: roupas, calçados, lençóis, cobertores e toalhas.

Acompanhe tudo sobre:Rio Grande do SulPorto AlegreMudanças climáticasEnchentes no RS

Mais de Brasil

Censo 2022: Brasil tem 106,8 milhões de endereços, um aumento de 19,5% em relação ao Censo anterior

Um em cada oito endereços do Brasil fica dentro de condomínios, indica Censo

Censo: quase um quarto dos endereços do Brasil não tem número; confira o ranking por estado

Dos 33 deputados favoráveis ao PL que equipara aborto a homicídio, 11 são mulheres

Mais na Exame