Brasil

Por que o Metrô, CPTM e Sabesp marcaram greve para a próxima terça-feira?

O Sindicato dos Trabalhadores da USP também aprovou uma paralisação das atividades no dia 3 em apoio à greve do Metrô, da CPTM e da Sabesp

Greve: sindicatos vão realizar uma paralisação em conjunto (BRUNO ROCHA/Estadão Conteúdo)

Greve: sindicatos vão realizar uma paralisação em conjunto (BRUNO ROCHA/Estadão Conteúdo)

André Martins
André Martins

Repórter de Brasil e Economia

Publicado em 28 de setembro de 2023 às 13h09.

Na próxima terça-feira, 3, os funcionários do Metrô, da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) vão realizar uma greve de 24 horas. Na segunda-feira, 2, uma assembleia em conjunto será realizada para formalizar a paralisação.

A principal reivindicação dos trabalhadores é pela paralisação dos processos de privatização das linhas de transporte e da rede de água e esgoto do estado. Os três sindicados exigem que a gestão estadual interrompa os processos de privatizações imediatamente, cancele os pregões de terceirização do Metrô e consulte a população por meio de um plebiscito sobre as entrega das empresas estatais à iniciativa privada. Eles afirmam que a concessão de linhas de transporte e da rede de água e esgoto vão piorar a qualidade dos serviços. E citam, como exemplo, o aumento das falhas nas linhas 8 e 9 da CPTM após a concessão à ViaMobilidade.

Desde junho, os metroviários e ferroviários realizam publicações para pressionar a gestão Tarcísio a rever o plano de concessões de linhas do Metrô. Em janeiro, logo após a posse, Tarcísio afirmou que tinha planos para privatização das linhas do Metrô. Os estudos de viabilidade da concessão das linhas 1, 2 e 3 para a iniciativa privada devem ser anunciados nos próximos meses. Em abril, o governador autorizou estudos de concessão das linhas 10-Turquesa, 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade, da CPTM, além da futura linha 14-Ônix. A administração estadual já assinou um contrato com a IFC (Corporação Financeira Internacional) do Banco Mundial para fazer a modelagem das concessões.

O Sindicato dos Trabalhadores da USP também aprovou uma paralisação das atividades no dia 3 em apoio à greve do Metrô, da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo).

Quais linhas serão afetadas pela greve do Metrô e da CPTM?

As linhas 1-azul, 2-verde, 3-vermelha e 15-prata não devem funcionar no dia paralisação. Na CPTM, a previsão é que as linhas 7-rubi, 10-turquesa, 11-coral, 12-safira e 13-jade não funcionem. As linhas 4-amarela, 5-lilás, 8-diamante e 9-esmeralda devem operar normalmente em meio à greve -- elas são administradas pela iniciativa privada. Ainda está claro se a paralisação dos trabalhadores da Sabesp terá algum impacto para a população.

Quando começa a greve do Metrô, CPTM e Sabesp?

A greve está marcada para a próxima terça-feira, 3 de outubro.

Acompanhe tudo sobre:GrevesMetrôsCPTMSabesp

Mais de Brasil

MEC suspende criação de cursos a distância até 2025 e fixa prazo para criar novas regras

Deputada Luiza Erundina tem alta de hospital em Brasília após três dias internada

Lula, Haddad, Mercadante e mais: veja repercussão da morte de Maria da Conceição Tavares

Mais na Exame