Acompanhe:

PF prende 47 CACs entre acusados de homicídio, roubo e tráfico

Os policiais cumprem mandados de preventiva, temporária e definitiva contra colecionadores, atiradores e caçadores (CACs) que não fizeram o recadastramento de suas armas

Modo escuro

Continua após a publicidade
A Operação Day After é nacional, ou seja, acontece simultaneamente em vários estados (Niall Carson/Getty Images)

A Operação Day After é nacional, ou seja, acontece simultaneamente em vários estados (Niall Carson/Getty Images)

A Polícia Federal (PF) faz nesta quinta-feira, 4, uma megaoperação contra o porte ilegal de armas de fogo.

Os policiais cumprem mandados de preventiva, temporária e definitiva contra colecionadores, atiradores e caçadores (CACs) que não fizeram o recadastramento de suas armas, além de pessoas que não têm autorização para ter armamentos.

47 investigados e a origem de suas armas

Balanço divulgado no início da tarde indicou que 47 investigados foram presos, entre acusados de homicídio (nove), roubo (cinco), furto (três), tráfico de drogas (quatro), corrupção (um), crime ambiental (um), organização criminosa (um), violência doméstica (um), estelionato (um), constrangimento ilegal (um) e extorsão mediante sequestro (um).

A Operação Day After é nacional, ou seja, acontece simultaneamente em vários estados. A ofensiva segue em andamento.

A PF também cumpre ordens de prisão em aberto, sobretudo por dívidas de pensão alimentícia. Quem tem mandados de prisão pendentes não pode ter porte de arma. Esses registros devem ser cancelados.

"Uma vez que a existência de mandado de prisão quebra o requisito da idoneidade para obtenção do porte de arma de fogo, estão sendo adotadas medidas de apreensão cautelar de armamentos e documentos encontrados, para posterior processo de cassação de porte ou registro de arma de fogo, por parte da PF, além de comunicação ao Exército Brasileiro, para cassação das autorizações concedidas aos CACs", informou a Polícia Federal.

Governo Lula diante dos CACs

Em janeiro, o governo Lula deu 60 dias para a atualização cadastral das armas. A decisão foi concentrar todos os registros no Sistema Nacional de Armas, inclusive dos CACs, que eram controlados pelo Exército. A iniciativa faz parte de uma política do governo para tentar ter mais controle sobre as armas nas mãos de civis.

O prazo terminou na terça. O balanço final divulgado pela PF aponta que 939.154 armas foram recadastradas. Há, no entanto, 6.168 armas de uso restrito que não foram registradas no prazo.

O ministro da Justiça, Flávio Dino, afirmou mais cedo que a apreensão das armas ilegais será uma linha de trabalho permanente da PF.

"Hoje a Polícia Federal está cumprindo mandados de prisão contra CACs (caçadores, atiradores e colecionadores) que não preenchem requisitos legais de idoneidade para ter armas de fogo. Estas também estão sendo apreendidas. Será uma linha permanente de trabalho da PF", publicou nas redes sociais.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Governo contesta no STF leis que facilitam porte de arma no Rio Grande do Sul e no Paraná
Brasil

Governo contesta no STF leis que facilitam porte de arma no Rio Grande do Sul e no Paraná

Há 2 dias

STF decide que Estado é responsável por mortes causadas por balas perdidas em operações policiais
Brasil

STF decide que Estado é responsável por mortes causadas por balas perdidas em operações policiais

Há 2 dias

Governo abre mais duas ações no STF contra leis estaduais sobre armas
Brasil

Governo abre mais duas ações no STF contra leis estaduais sobre armas

Há 2 dias

China impõe sanções a duas empresas dos EUA por "apoio a venda de armas a Taiwan"
Mundo

China impõe sanções a duas empresas dos EUA por "apoio a venda de armas a Taiwan"

Há 2 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais