Exame logo 55 anos
Remy Sharp
Acompanhe:

Ministro suspende edital com séries LGBT, após críticas de Bolsonaro

Bolsonaro fez críticas à escolha dos filmes pela Ancine, que seriam financiados pelo Fundo Setorial do Audiovisual

Modo escuro

Afronte: obras escolhidas pelo concurso seriam bancadas pelo Fundo Setorial do Audiovisual (YouTube/Reprodução)

Afronte: obras escolhidas pelo concurso seriam bancadas pelo Fundo Setorial do Audiovisual (YouTube/Reprodução)

D
Da redação com Estadão Conteúdo

Publicado em 21 de agosto de 2019, 12h13.

Última atualização em 21 de agosto de 2019, 17h01.

São Paulo — O ministro da Cidadania, Osmar Terra, suspendeu um edital lançado ano passado para selecionar séries temáticas para emissoras públicas de televisão.

A suspensão ocorre logo depois de o presidente Jair Bolsonaro ter criticado projetos da temática LGBT que estavam pré-selecionados pelo edital.

As obras escolhidas pelo concurso seriam bancadas pelo Fundo Setorial do Audiovisual (FSA), gerido pela Agência Nacional do Cinema (Ancine). O edital foi aberto em março com uma previsão de R$ 70 milhões a serem divididos entre as regiões do país.

A portaria que suspende o todo o processo de seleção está publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta quarta-feira. Segundo o ato, a suspensão se dará pelo prazo de 180, prorrogável por igual período.

A suspensão decorre "da necessidade de recompor os membros do Comitê Gestor do Fundo Setorial do Audiovisual - CGFSA", justifica a portaria de Osmar Terra.

Ainda segundo a portaria, "após a recomposição do CGFSA, fica determinada a revisão dos critérios e diretrizes para a aplicação dos recursos do FSA, bem como que sejam avaliados os critérios de apresentação de propostas de projetos, os parâmetros de julgamento e os limites de valor de apoio para cada linha de ação".

O deputado federal Marcelo Calero (Cidadania/RJ) informou que vai entrar com uma ação popular com pedido de liminar para tornar nula a portaria do ministro.

Dentre as 14 categorias de produções audiovisuais apoiadas pelo edital suspenso, há diversidade de gênero, sexualidade, raça e religião, sociedade e meio ambiente, manifestações culturais, qualidade de vida e biográfico.

Na 'live' da última quinta-feira, o presidente voltou a criticar a Ancine e projetos apoiados pela agência. "Se Ancine não tivesse cabeça toda com mandato, já tinha degolado todo mundo", disse.

Na ocasião, Bolsonaro exibiu uma lista de produções sobre LGBT e minorias que, segundo ele, seriam financiadas com aval da agência. "Conseguimos abortar essa missão", disse o presidente.

Bolsonaro já disse em entrevistas que é “homofóbico, com muito orgulho” e que preferia ter um filho morto a um filho homossexual, entre outras declarações homofóbicas recorrentes em sua trajetória.

Últimas Notícias

ver mais
Tatuzão do Metrô chega à Pompeia e governo de SP prevê entrega da Linha-6 Laranja para 2026
Brasil

Tatuzão do Metrô chega à Pompeia e governo de SP prevê entrega da Linha-6 Laranja para 2026

Há 3 horas
Parecer do Minha Casa, Minha Vida prevê reajuste de 1% para projetos de construção
Brasil

Parecer do Minha Casa, Minha Vida prevê reajuste de 1% para projetos de construção

Há 3 horas
Juíza manda para banco dos réus alto escalão do PCC que planejou sequestrar Moro
Brasil

Juíza manda para banco dos réus alto escalão do PCC que planejou sequestrar Moro

Há 3 horas
Câmara aprova Plano Diretor de SP em 1º turno; saiba o que pode mudar na cidade
Brasil

Câmara aprova Plano Diretor de SP em 1º turno; saiba o que pode mudar na cidade

Há 4 horas
icon

Branded contents

ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

leia mais