Brasil

Ministro da Defesa tentou buscar informações sobre prisão de Mauro Cid com Moraes

Nesta quarta-feira, Lula será recebido pelo general Tomás Miguel Paiva no Quartel-General do Exército em Brasília

Moraes: ministro foi procurado para dar mais detalhes sobre a decisão de prisão do tenente-coronel Mauro Cid.  (Fellipe Sampaio /SCO/STF/Reprodução)

Moraes: ministro foi procurado para dar mais detalhes sobre a decisão de prisão do tenente-coronel Mauro Cid. (Fellipe Sampaio /SCO/STF/Reprodução)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 3 de maio de 2023 às 11h22.

O ministro da Defesa José Mucio Monteiro procurou o ministro Alexandre de Moraes, do STF, para saber mais detalhes sobre a decisão de prisão do tenente-coronel Mauro Cid, ajudante de ordens do ex-presidente Jair Bolsonaro, na manhã desta quarta-feira. Como mostrou a colunista Bela Megale, Mauro Cid foi preso pela Polícia Federal dentro da Vila Militar em Brasília, onde o tenente-coronel mora. Até o começo da manhã, Mucio e Moraes ainda não tinham conversado.

Para integrantes do Ministério da Defesa, ainda é cedo para avaliar eventuais reflexos da prisão de Mauro Cid na relação entre governo e militares.

Múcio tem reunião com presidente Luiz Inácio Lula da Silva na manhã desta quarta-feira. O encontro será uma conversa prévia que antecede o almoço de Lula com Alto Comando do Exército nesta quarta-feira. Na mesma data da prisão do militar que foi um dos principais auxiliares de Bolsonaro, Lula será recebido pelo comandante da Força, general Tomás Miguel Paiva no QG do Exército em Brasília.

A agenda faz parte de uma série de gestos de aproximação entre Palácio do Planalto e as Forças Armadas. Em março, Lula foi recebido para um almoço na sede da Marinha.

Quem é Mauro Cid Barbosa?

Apontado como o pivô da demissão do general Júlio Cesar de Arruda do comando do Exército, feita pelo presidente Lula em janeiro, o tenente-coronel Mauro Cesar Barbosa Cid, o Mauro Cid ou "coronel Cid", tem um histórico de relacionamento com o ex-presidente Jair Bolsonaro que vem de família.

Ajudante de ordens de Bolsonaro durante o último governo, Mauro Cid é filho do general Mauro Cesar Lourena Cid, que foi colega do ex-chefe do Executivo no curso de formação de oficiais do Exército. Desde esse período, Bolsonaro mantém uma amizade com Lourena Cid.

Mauro Cid ascendeu na carreira no governo passado. Ele era major e foi promovido a tenente-coronel. Seu nome ganhou notoriedade nesta sexta-feira, após reportagem de Rodrigo Rangel, do portal Metrópoles, apontar que investigações da PF, sob o comando do Supremo Tribunal Federal (STF), apuram se o ajudante de ordens do ex-presidente operava uma espécie de “caixa paralelo”. O ex-presidente Bolsonaro nega as informações.

Comandante do Exército até este sábado, Arruda resistia em revogar a designação do ex-ajudante de Bolsonaro do 1º Batalhão de Ações e Comandos, unidade de Operações Especiais. Cid foi escolhido para o posto em maio de 2022, durante a gestão anterior, mas só o assumiria em fevereiro. O Planalto já havia indicado que esperava que Arruda anulasse a nomeação.

Por que Mauro Cid Barbosa foi preso?

De acordo com a apuração da TV Globo e Globo News, teriam sido forjados certificados de vacinação de Jair Bolsonaro, de sua filha Laura Bolsonaro e de Mauro Cid e sua família. Essa ação burla restrições sanitárias vigentes impostas pelos poderes públicos.

Acompanhe tudo sobre:Jair BolsonaroOperação VenirePolícia Federal

Mais de Brasil

Governo sanciona lei que prevê plano de combate à violência contra mulher

PL do aborto: Conselho Federal da OAB aprova parecer que avalia texto como inconstitucional

Em SP, operação da Polícia Civil despeja projeto social na Cracolândia

PF recupera gravuras raras roubadas há 16 anos da Biblioteca Mário de Andrade, em SP

Mais na Exame