Acompanhe:

Ministério da Saúde decide comprar vacinas da Pfizer e da Janssen

Na terça-feira, 2, a Câmara dos Deputados aprovou um projeto que resolve os problemas apontados pelo governo como empecilhos na aquisição das duas vacinas

Modo escuro

Continua após a publicidade
 (Justin Tallis/Pool/Getty Images)

(Justin Tallis/Pool/Getty Images)

D
Da redação, com Estadão Conteúdo

Publicado em 3 de março de 2021 às, 16h53.

Última atualização em 3 de março de 2021 às, 20h48.

O ministro da Saúde, o general Eduardo Pazuello, disse nesta quarta-feira, 3, que pretende fechar a compra das vacinas da Pfizer e da Janssen. A promessa foi feita a representantes da Confederação Nacional dos Municípios (CNM). O acordo deve ser formalizado até a próxima semana.

Pazuello não informou quantas doses da Pfizer devem ser compradas. Em apresentações recentes a prefeitos e governadores, Pazuello disse que a negociação seria por 100 milhões de doses, mas com a entrega de uma primeira parcela de 8,71 milhões de doses em julho. O restante, entre outubro e dezembro.

No caso da Janssen, o laboratório só apareceu dentro do Plano de Operacionalização da Vacinação contra a covid-19 com status de “em negociação”, sem a previsão de lotes ou datas.

A fala de Pazuello ocorre no momento de explosão de internações e colapso de sistemas de saúde em todo o país. O governo é pressionado para ampliar a oferta de imunizantes, mas o ministro e o presidente Jair Bolsonaro rejeitam há meses a oferta da Pfizer e da Janssen.

O principal obstáculo, segundo o governo, são dois pontos que se referem a “garantias de pagamento e dos laboratórios se resguardarem de eventuais efeitos graves que a vacina possa causar”. 

Na terça-feira, 2, a Câmara dos Deputados aprovou um projeto, elaborado pelo presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (DEM-MG), que facilita a aquisição de vacinas contra a covid-19 por parte do setor privado, e resolve o problema da aquisição das vacinas da Pfizer e da Janssen.

Segundo a proposta, estados e municípios podem assumir a responsabilidade civil por possíveis eventos adversos decorrentes da imunização contra a covid-19 durante a emergência em saúde pública. Os outros entes federativos também podem adquirir a vacina, de forma suplementar ao Ministério da Saúde. 

O texto ainda abre o caminho para a iniciativa privada comprar o imunizante. Pela regra, a aquisição pode ocorrer enquanto estiver acontecendo a imunização dos grupos prioritários — o que deve levar até o fim do ano. Nesta etapa, a totalidade deve ser dada ao Sistema Único de Saúde (SUS). 

Últimas Notícias

Ver mais
Ministério da Saúde revoga nota sobre aborto legal
Brasil

Ministério da Saúde revoga nota sobre aborto legal

Há 3 dias

Gripe: Ministério da Saúde antecipa vacinação para final de março; saiba quem pode se vacinar
Brasil

Gripe: Ministério da Saúde antecipa vacinação para final de março; saiba quem pode se vacinar

Há 3 dias

Vacinação contra gripe: Saúde antecipa campanha devido à alta de casos; veja datas e público
Brasil

Vacinação contra gripe: Saúde antecipa campanha devido à alta de casos; veja datas e público

Há 3 dias

Vacina da Dengue: Saúde envia nova leva e oferta deve começar até 2ª semana de março; veja locais
Brasil

Vacina da Dengue: Saúde envia nova leva e oferta deve começar até 2ª semana de março; veja locais

Há 6 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais