Acompanhe:

Militares, PF e CGU atestam segurança das urnas e lacram sistema

A partir de agora, nenhuma alteração nos programas é permitida, a não ser que todas as entidades fiscalizadoras das eleições se reúnam para reabri-lo

Modo escuro

Continua após a publicidade
Muita gente diz nas pesquisas que vai votar em alguém, mas na hora h não vota em ninguém. (EVARISTO/Getty Images)

Muita gente diz nas pesquisas que vai votar em alguém, mas na hora h não vota em ninguém. (EVARISTO/Getty Images)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 3 de setembro de 2022 às, 08h43.

Após um ano de embates e questionamentos de militares sobre o processo de votação eletrônica, o Ministério da Defesa e a Polícia Federal validaram os sistemas que fazem funcionar as urnas que serão usadas nas eleições deste ano. Representantes das Forças Armadas e da PF participaram ontem de solenidade realizada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) para a lacração do sistema eletrônico.

A partir de agora, nenhuma alteração nos programas é permitida, a não ser que todas as entidades fiscalizadoras das eleições se reúnam para reabri-lo. O presidente do TSE, ministro Alexandre de Moraes, afirmou que o encontro na sede do TSE mostrou "a segurança, a transparência, a seriedade e a confiança" da Justiça Eleitoral nas eleições de 2022.

"O TSE jogou luz sobre esse procedimento. Uma etapa burocrática das eleições nunca teve audiência tão completa como essa. Isso legitima cada vez mais a Justiça Eleitoral. Isso demonstra que a Justiça Eleitoral atua de forma pública, transparente e que confia nos seus sistemas", afirmou Moraes. "Não há nada secreto no sistema eleitoral, a única coisa secreta é o voto", completou.

Além das Forças Armadas e da PF, participaram do evento representantes da Controladoria-Geral da União (CGU), do Ministério Público Eleitoral, da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), do Carter Center e da União Interamericana de Organismos Eleitorais (Uniore). O único partido a participar do procedimento foi o PTB, que na quinta-feira passada sofreu derrota no TSE ao ter o registro do seu candidato à Presidência, o ex-deputado Roberto Jefferson, rejeitado.

Aval

As Forças Armadas escalaram o coronel Marcelo Nogueira de Souza para assinar digitalmente os sistemas das urnas. Nogueira, que é oficial da ativa, foi o responsável por uma apresentação em julho deste ano, em audiência no Senado com a presença de militares, na qual foi difundida a tese de que um "código malicioso oculto" - também chamado de malware - poderia ser inserido nas urnas para fraudar o sistema eletrônico.

Pelo Ministério Público Eleitoral, o vice-procurador Paulo Gonet ressaltou a importância da cerimônia. "O eleitor tem mais essa garantia de que seu voto será contabilizado e a sua vontade prevalecerá", afirmou.

A solenidade pode esvaziar o discurso patrocinado pelo presidente Jair Bolsonaro (PL) de criar dúvidas sobre o processo de votação eletrônica. Sem apresentar provas, Bolsonaro reuniu embaixadores no Palácio da Alvorada para dizer que o sistema eletrônico de votação não é confiável. O presidente tem se recusado a dizer que vai respeitar o resultado da votação de outubro. Ele está atrás do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas pesquisas.

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

LEIA TAMBÉM:

O que dizem os planos de governo dos candidatos sobre os direitos das mulheres

Alexandre de Moraes defende sistema eleitoral em discurso de posse

 

Últimas Notícias

Ver mais
Mortes por dengue chegam a 113 no país; 438 óbitos são investigados
Brasil

Mortes por dengue chegam a 113 no país; 438 óbitos são investigados

Há 5 horas

Moraes mantém depoimento de Bolsonaro e nega acesso à delação de Cid
Brasil

Moraes mantém depoimento de Bolsonaro e nega acesso à delação de Cid

Há 5 horas

Lewandowski autoriza envio da Força Nacional para Mossoró, onde os fugitivos estariam escondidos
Brasil

Lewandowski autoriza envio da Força Nacional para Mossoró, onde os fugitivos estariam escondidos

Há 6 horas

Desenrola das empresas pode ter 8 milhões de beneficiados, diz Márcio França
Brasil

Desenrola das empresas pode ter 8 milhões de beneficiados, diz Márcio França

Há 7 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais