Acompanhe:

Lula defende, em Angola, que FMI transforme a dívida dos países africanos em obras

Segundo o petista, o débito total das nações com o organismo internacional passa dos US$ 800 bilhões e tem se tornado impagável devido aos juros embutidos na dívida

Modo escuro

Continua após a publicidade
Angola e Brasil também assinaram nesta sexta sete acordos de cooperação entre os países (Ricardo Stuckert/PR/Divulgação)

Angola e Brasil também assinaram nesta sexta sete acordos de cooperação entre os países (Ricardo Stuckert/PR/Divulgação)

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva cobrou que o Fundo Monetário Internacional (FMI) converta a dívida dos países africanos em obras de infraestrutura para fomentar o desenvolvimento do continente.

Segundo o petista, o débito total das nações com o organismo internacional passa dos US$ 800 bilhões e tem se tornado impagável devido aos juros embutidos na dívida. Para Lula, os países ricos poderiam abrir mão do dinheiro para financiar obras públicas que coloquem a África no chamado "sul global", termo usado para designar nações em desenvolvimento.

"Sei da dívida que o continente africano tem com o FMI (...) essa dívida vai ficando impagável. Por que ao invés de quererem receber essa dívida, não transformam em obras públicas? (...) Precisamos abrir uma nova discussão. Essa é uma briga que nós precisamos fazer. A partir de agora, se preparem meus amigos do FMI, vai fazer parte do meu discurso cobrar do FMI transformar dívida dos países africanos em obras", disse Lula em declaração à imprensa ao lado do presidente da Angola, João Lourenço.

O presidente brasileiro voltou a dizer que o país africano ficou "esquecido" durante a gestão de Jair Bolsonaro e criticou a política internacional do antecessor. "Apenas nos últimos tempos quando o país foi tomado pelo ódio, pela fake news e pela mentira, um presidente que não gostava de ninguém, Angola foi esquecida. Brasil vai voltar ao continente africano, quero visitar o máximo de país que eu puder visitar. Angola sempre será nossa porta de entrada nesse continente", destacou.

Lula também convidou João Lourenço a participar da próxima reunião do G20, que deve acontecer em 2024, no Rio de Janeiro. O Brasil assumirá a presidência do grupo das 20 nações mais ricas do mundo em dezembro deste ano.

Relações com o Brasil

Lourenço afirmou que é o momento de Angola "relançar" as relações com o Brasil. "Vamos reforçar nossos laços de cooperação. Queremos desenvolver domínios da agropecuária, educação, saúde e turismo, entre outras áreas", destacou ele, que ainda disse que o país também quer destinar investimentos ao Brasil e nações vizinhas. "Queremos ver o Brasil como nossa porta de entrada para a região do Mercosul."

Acordos de cooperação

A agenda em Angola faz parte do giro do presidente Lula pelo continente africano. Ele desembarcou no país na noite desta quinta-feira, 24, após cumprir agenda de três dias na cúpula de líderes do Brics, na África do Sul. Durante o encontro, o grupo anunciou que pretende ampliar o bloco e convidou Argentina, Egito, Irã, Etiópia, Arábia Saudita e Emirados Árabes Unidos para se tornarem membros.

O presidente foi condecorado nesta sexta-feira com a Ordem Agostinho Neto, oferecida pelo governo angolano a figuras nacionais e estrangeiras, em particular chefes de Estado e líderes políticos. Já Lula entregou a Lourenço a Ordem Nacional Cruzeiro do Sul, a maior honraria concedida pelo governo brasileiro a personalidades estrangeiras.

Outros acordos

Angola e Brasil também assinaram nesta sexta sete acordos de cooperação entre os países. Entenda, abaixo, o teor de cada ato, de acordo com informações divulgadas pelo Ministério das Relações Exteriores brasileiro:

  • Acordo entre a República Federativa do Brasil e a República de Angola sobre o exercício de atividades profissionais remuneradas pelos dependentes do pessoal diplomático, consular, militar, administrativo e técnico das missões diplomáticas e postos consulares;
  • Memorando de entendimento entre o governo da República Federativa do Brasil e o governo da República de Angola para a cooperação no domínio do turismo sustentável;
  • Memorando de entendimento de cooperação entre o Ministério da Agricultura e Pecuária da República Federativa do Brasil e o Ministério da Agricultura e Florestas da República de Angola;
  • Memorando de entendimento entre a Agência Brasileira de Promoção de Exportações do Brasil (APEXBRASIL) e a Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações de Angola (AIPEX);
  • Memorando de entendimento entre Instituto Nacional de Apoio Às Micro, Pequenas e Médias Empresas (INAPEM) e Serviço Brasileiro de Apoio Às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE);
  • Escola de Todos - Fase III;
  • Apoio à implementação de ações para enfrentamento à hanseníase em Angola.

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Lula deve ter ao menos 2 reuniões bilaterais em viagem à Guiana, diz Itamaraty
Brasil

Lula deve ter ao menos 2 reuniões bilaterais em viagem à Guiana, diz Itamaraty

Há 7 horas

Aneel mantém bandeira tarifária verde em março, sem adicional nas contas de luz
Brasil

Aneel mantém bandeira tarifária verde em março, sem adicional nas contas de luz

Há 7 horas

BNDES aprova R$ 88,5 milhões para expansão da internet de banda larga na PB e no RN
Brasil

BNDES aprova R$ 88,5 milhões para expansão da internet de banda larga na PB e no RN

Há 8 horas

Juiz manda submeter esfaqueador de Bolsonaro a tratamento psiquiátrico
Brasil

Juiz manda submeter esfaqueador de Bolsonaro a tratamento psiquiátrico

Há 9 horas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais