Brasil

Lula cancela viagens a Goiás e Santa Catarina

Estados tem governadores aliados a Jair Bolsonaro e maioria do eleitorado votou no ex-presidente

Publicado em 3 de julho de 2024 às 08h18.

Última atualização em 3 de julho de 2024 às 12h49.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva desistiu de comparecer a eventos em  cidades conhecidas por terem um eleitorado de maioria bolsonarista.

Nesta semana, por exemplo, o chefe do Executivo estava com uma vigem marcada para Itajaí, em Santa Catarina, onde acompanharia a chegada do primeiro navio no porto da cidade neste final de semana.

A agenda, apesar de não ter sido confirmada pela comunicação da Presidência, era dada como certa por aliados de Lula, e aconteceria próxima à cúpula que vai reunir, nos mesmos dias, o presidente argentino, Javier Milei, e Jair Bolsonaro.

A conferência conservadora que reunirá Bolsonaro e Milei, além de outros políticos alinhados ao ex-presidente brasileiro e apoiadores, está prevista para sábado e domingo, 6 e 7, em Balneário Camboriú.

Lula cancela ida a Goiânia

Além disso, Lula cancelou oficialmente as visitas a Goiânia e Aparecida de Goiânia na quinta-feira, devido a um "choque de compromissos". A agenda nas cidades incluía a inauguração do Instituto Federal Goiano e do câmpus da Universidade Federal de Goiás (UFG). Segundo a Presidência, será agendada uma nova data.

Governados por políticos que publicamente apoiam o ex-presidente, tanto Goiás — de Ronaldo Caiado (União) — quanto Santa Catarina — de Jorginho Mello (PL) — são estados com maioria bolsonarista.

Nas eleições de 2022, 69,27% dos catarinenses votaram em Bolsonaro, apoio que ficou em 58,71% entre os goianos.

(Com O Globo)

Acompanhe tudo sobre:Luiz Inácio Lula da SilvaGoiásSanta CatarinaRonaldo Caiado

Mais de Brasil

Aeroportos, portos, energia e água: Servidores anunciam greve geral; entenda

'Prioridade é acelerar investimentos e universalizar até 2029': Natália Resende analisa nova Sabesp

União Europeia doa 20 milhões de euros ao Fundo Amazônia

Novo lança candidatura de Carol Sponza à prefeitura do RJ com apelo ao voto feminino

Mais na Exame