Brasil

Governo apresenta nova proposta para servidores da educação, com 9% de reajuste em 2025

Ao menos 48 universidades, 71 institutos federais (IFs) e um campus do Colégio Pedro II estão em greve desde a semana passada

Lula: governo atual enfrenta muitos desafios em diversos setores (Ricardo Stuckert / PR/ Flickr/Reprodução)

Lula: governo atual enfrenta muitos desafios em diversos setores (Ricardo Stuckert / PR/ Flickr/Reprodução)

Agência o Globo
Agência o Globo

Agência de notícias

Publicado em 19 de abril de 2024 às 16h50.

O governo Lula apresentou nesta sexta-feira uma nova proposta de reajuste salarial para os técnico-administrativos em educação, que trabalham nos institutos e universidades federais.

A contrapartida aos servidores inclui ganho salarial de 9% a partir de janeiro de 2025 e 3,5% em maio de 2026.

Ao menos 48 universidades, 71 institutos federais (IFs) e um campus do Colégio Pedro II estão em greve desde a semana passada. Entre as reivindicações, professores e servidores pedem reestruturação de carreira e recomposição salarial e orçamentária.

A proposta anterior era de reajuste na base salarial de 4,5% em 2025 e 4,5% em 2026. A nova proposta foi apresentada em reunião da mesa de negociação com a categoria, realizada na Esplanada dos Ministérios.

Para esse ano, a proposta é na correção nos valores dos benefícios, medida considerada mais equitativa. Se o espaço no orçamento de 2024, para essa demanda, fosse destinado ao reajuste salarial, o aumento percentual iria beneficiar quem ganha mais, explica o MGI. A proposta está incluindo:

  • Auxílio-alimentação, de R$ 658 para R$ 1 mil (aumento de 51,9%);
  • Auxílio-saúde per capita, de R$ 144,38 para cerca de R$ 215;
  • Auxílio-creche, de R$ 321 para R$ 484,90.
Acompanhe tudo sobre:Luiz Inácio Lula da SilvaEducaçãoFaculdades e universidadesSalários

Mais de Brasil

Moro diz que não vai se candidatar à presidência em 2026

Nível Guaíba fica abaixo dos 4 metros pela primeira vez em 20 dias

São Paulo começa a aplicar vacina atualizada contra nova variante da Covid-19; veja quem pode tomar

Avaliação negativa do governo Lula entre deputados sobe 9 pontos e chega a 42%, aponta Quaest

Mais na Exame