Brasil

Gasolina tem preço médio de R$ 7,54 em maio; alta de 9,8% no ano

Nenhuma região brasileira apresentou recuo no valor dos dois combustíveis. O Nordeste segue liderando com o maior preço médio para a gasolina

Vibra, a maior distribuidora de combustíveis do país reestruturou a área de ESG  (Bloomberg/Getty Images)

Vibra, a maior distribuidora de combustíveis do país reestruturou a área de ESG (Bloomberg/Getty Images)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 31 de maio de 2022 às 13h19.

Última atualização em 31 de maio de 2022 às 14h52.

O preço médio do litro da gasolina fechou o mês de maio a R$ 7,54, alta de 0,67% no comparativo com o mês de abril. Já o etanol continua registrando altas mais expressivas em relação à gasolina e encerrou o mês a R$ 6,12, alta de 3,14%, se comparado ao mês anterior. Os dados são do último levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL).

"Em relação ao início do ano, o motorista brasileiro já está pagando 9,8% mais caro no litro da gasolina e 6,3% a mais pelo etanol. No comparativo com um ano atrás, os acréscimos chegam a 30% para a gasolina e a 26,9% para o etanol, segundo o último levantamento da Ticket Log", destaca Douglas Pina, diretor-geral de mainstream da divisão de frota e mobilidade da Edenred Brasil.

Encher o tanque no Brasil consome 33% do salário-mínimo

Nenhuma região brasileira apresentou recuo no valor dos dois combustíveis, e, assim como em abril, o Nordeste segue liderando com o maior preço médio para a gasolina, comercializada a R$ 7,64, com alta de 0,80% em relação a abril. A menor média para esse combustível foi registrada nos postos da Região Sul, a R$ 7,19.

Bem como no início de maio, o litro mais caro para o etanol deixou de ser comercializado nos postos da Região Norte, como ocorreu em abril, e passou a ser registrado nas bombas da Região Sul neste fechamento de mês, a R$ 6,30, com alta de 3,13%. Já a menor média para o etanol segue sendo registrada no Centro-Oeste a R$ 5,67 e o menor acréscimo no preço médio, de 1,58%, em relação às demais regiões.

"Vale ressaltar que, mesmo sendo a região com os maiores recuos no preço da gasolina, o Nordeste mantém as maiores variações de alta no preço dos dois combustíveis. De acordo com o último IPTL este fechamento de mês o etanol se apresenta como opção mais vantajosa para abastecimento nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso, diferentemente do início do mês, que constou apenas Goiás e Mato Grosso", finaliza Pina.

O IPTL é um índice de preços de combustíveis levantado com base nos abastecimentos realizados nos 21 mil postos credenciados da Ticket Log, marca de gestão de frotas e soluções de mobilidade da Edenred Brasil.

VEJA TAMBÉM:

Cortar ICMS é populista e não vai baratear combustíveis, diz especialista

Risco de falta de diesel põe em alerta de importadores a caminhoneiros

Teto no ICMS não vai baixar preço do combustível, diz secretário de SP

Acompanhe tudo sobre:CombustíveisGasolina

Mais de Brasil

Câmara aprova projeto que cria cadastro nacional de condenados por violência contra a mulher

Comissão da Câmara aprova projeto de lei para incluir animais domésticos no Censo Demográfico

MPF busca solução para liberar 400 estrangeiros retidos no aeroporto de Guarulhos

Lula avaliará situação de Juscelino após viagem, diz Jaques Wagner

Mais na Exame