Frente fria histórica e ciclone: neve em maio e temperatura abaixo de zero

Combinação de fenômenos meteorológicos raros deve provocar "chuva congelante", poucas vezes observada no país, e mínimas recordes em São Paulo
Inverno em São Joaquim (SC): frio chega mais cedo este ano (Divulgação/Mycchel Hudsonn Legnaghi / São Joaquim Online)
Inverno em São Joaquim (SC): frio chega mais cedo este ano (Divulgação/Mycchel Hudsonn Legnaghi / São Joaquim Online)
Por Carla AranhaPublicado em 12/05/2022 10:51 | Última atualização em 14/05/2022 18:27Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Neve na região Sul e mínimas de 7 graus Celsius em São Paulo na semana que vem: a previsão da meteorologia para os próximos dias aponta uma frente fria histórica.

De acordo com o Climatempo, uma massa polar intensa, aliada a um ciclone extratropical, devem jogar os termômetros para abaixo de zero na região central de Santa Catarina e em cidades da Serra Gaúcha especialmente entre a próxima terça, dia 17, e quarta, dia 18. O frio, no entanto, deve continuar durante todo o mês de maio.

Ciclone extratropical

Neste final de semana, alguns fenômenos devem acentuar a queda de temperatura. Um ciclone deverá ficar estacionado vários dias no oceano, aumentando a umidade no continente – ao mesmo tempo, uma grande massa de ar polar avança pelo país.

"Erupção Polar histórica"

A combinação dessas ocorrências ajuda a explicar a intensidade da onda de frio que deve atingir o país nos próximos dias. Nas mídias sociais, o evento vem sendo chamado de "erupção polar histórica", embora não haja tal descrição na meteorologia, segundo o Climatempo.

De qualquer forma, o fenômeno meteorológica trará surpresas. O país deverá ser palco da chamada "chuva congelante", um evento raro no Brasil, que acontece quando as gotas de água congelam antes de tocar a superfície do solo.

Previsão de Geada

De quinta, dia 19 a domingo, dia 22, há previsão de geada em vários pontos do país. As áreas mais atingidas devem se concentrar na região Sul, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais (especialmente no Sul do estado) e no oeste do estado de São Paulo.

Mínima mais baixa dos últimos seis anos em São Paulo/SP

Curitiba, no Paraná, pode presenciar o fenômeno, que não está descartado em São Paulo. Na capital paulista, a temperatura mínima deve ser a mais baixa dos últimos seis anos, de acordo com o Climatempo.