Brasil

FenaPRF: 'Silêncio de Bolsonaro estimula seguidores a bloquearem estradas'

Desde que o Tribunal Superior Eleitoral declarou a vitória do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na noite de domingo, 30, o presidente está em silêncio

Bolsonaro recolheu-se no Palácio do Planalto logo após ser derrotado nas eleições (Tomas Silva/Agência Brasil)

Bolsonaro recolheu-se no Palácio do Planalto logo após ser derrotado nas eleições (Tomas Silva/Agência Brasil)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 1 de novembro de 2022 às 15h43.

A Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) e os Sindicatos dos Policiais Rodoviários Federais afirmaram na manhã desta terça-feira, 1º, que a conduta do presidente Jair Bolsonaro de 'manter o silêncio e não reconhecer o resultado das urnas' estimula uma parte de seus apoiadores a bloquearem estradas por todo o País.

Bolsonaro recolheu-se no Palácio do Planalto logo após ser derrotado nas eleições. Desde que o Tribunal Superior Eleitoral declarou a vitória do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na noite de domingo, 30, o presidente está em silêncio. Segundo as entidades da PRF, a conduta do chefe do Executivo 'acaba dificultando a pacificação do País'.

As lideranças também cobram 'postura firme' da Diretoria-Geral da PRF, para 'prover os meios necessários para que a corporação cumpra suas funções constitucionais, garantindo assim o direito de ir e vir da população e resguardando a segurança e integridade dos policiais'.

As entidades que representam o PRFs dizem que os agentes 'seguem trabalhando diuturnamente para o restabelecimento do direito de ir e vir da população'. "Importa frisar que compete exclusivamente à gestão do Departamento de Polícia Rodoviária Federal providenciar e disponibilizar os meios e a organização do efetivo necessários para dar cumprimento à desobstrução das rodovias federais", frisam.

Apoiadores de Bolsonaro bloqueiam estradas por todo País desde a manhã desta segunda-feira, 31, motivados pela vitória do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas urnas. Após o registro das interdições, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, ordenou que a Polícia Rodoviária Federal e as Polícias Militares tomassem 'todas as medidas necessárias e suficientes' para desmobilizar os manifestantes que travam vias em todo o País.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

Leia a íntegra da nota:

A atuação dos PRFs no desbloqueio das rodovias federais A Federação Nacional dos Policiais Rodoviários Federais (FenaPRF) e os Sindicatos dos Policiais Rodoviários Federais de todo o Brasil reafirmam o compromisso com o Estado Democrático de Direito. O resultado das eleições de 2022 expressa a vontade da maioria da população e deve ser respeitado.

A postura do atual presidente da República, Jair Bolsonaro, em manter o silêncio e não reconhecer o resultado das urnas acaba dificultando a pacificação do país, estimulando uma parte de seus seguidores a adotarem ações de bloqueios nas estradas brasileiras.

Apesar disso, os PRFs seguem trabalhando diuturnamente para o restabelecimento do direito de ir e vir da população. Importa frisar que compete exclusivamente à gestão do Departamento de Polícia Rodoviária Federal providenciar e disponibilizar os meios e a organização do efetivo necessários para dar cumprimento à desobstrução das rodovias federais.

Nesse sentido, o sistema sindical dos PRFs segue cobrando uma postura firme da direção do DPRF, para prover os meios necessários para que a corporação cumpra suas funções constitucionais, garantindo assim o direito de ir e vir da população e resguardando a segurança e integridade dos policiais.

A Polícia Rodoviária Federal é um patrimônio da sociedade e seguirá firme na defesa da democracia, do respeito às leis e às decisões judiciais.

LEIA TAMBÉM:

Paralisação dos caminhoneiros: acompanhe ao vivo

Paralisação dos caminhoneiros: "há risco de falta de medicamentos nos próximos dias", diz Abrafarma

Acompanhe tudo sobre:CaminhoneirosJair BolsonaroLuiz Inácio Lula da SilvaPolícia Federal

Mais de Brasil

Base aérea de Canoas começa a receber voos comerciais nesta segunda

Governo libera 7,2 bilhões para comprar arroz importado

Guitarrista da banda Afrocidade morre após ser espancado na Bahia

Como irá funcionar o sistema de câmeras usadas por PMs; governo Tarcísio detalha

Mais na Exame