Acompanhe:

Edinho nega pagamento para criador da página "Dilma Bolada"

Em recente delação premiada, Monica Moura afirmou que o ex-tesoureiro pediu a ela R$ 400 mil para pagar o publicitário Jefferson Monteiro

Modo escuro

Continua após a publicidade
Edinho Silva: "Jamais existiu essa conversa a que Monica se refere" (Marcelo Camargo / Agência Brasil/Agência Brasil)

Edinho Silva: "Jamais existiu essa conversa a que Monica se refere" (Marcelo Camargo / Agência Brasil/Agência Brasil)

E
Estadão Conteúdo

Publicado em 15 de maio de 2017 às, 21h54.

Brasília - O ex-tesoureiro da campanha à reeleição de Dilma Rousseff, Edinho Silva, disse nesta segunda-feira, 15, nunca ter pedido à empresária Monica Moura qualquer pagamento para o criador da página de "Dilma Bolada" na internet.

"Jamais existiu essa conversa a que Monica se refere", declarou Edinho. "As pessoas, quando fazem delação, precisam provar o que dizem."

Em recente delação premiada ao Ministério Público, a empresária afirmou que Edinho - hoje prefeito de Araraquara pelo PT - pediu a ela R$ 400 mil para pagar o publicitário Jefferson Monteiro, após a saída de "Dilma Bolada" do ar.

De acordo com Monica - mulher de João Santana, marqueteiro daquela campanha -, o acerto para Monteiro ressuscitar "Dilma Bolada" acabou ficando por R$ 200 mil porque Edinho disse que arrumaria o restante com outra pessoa.

A empresária contou que achou o valor pedido anteriormente muito alto.

No depoimento ao Ministério Público, Monica também assegurou que, ao fazer o pedido, Edinho argumentou que a então presidente teria ficado furiosa após Monteiro tirar "Dilma Bolada" das redes sociais.

No comitê de campanha, a avaliação era a de que a personagem melhorava a imagem de Dilma.

Últimas Notícias

Ver mais
CNJ afasta ex-juíza da Lava-Jato, atual titular da vara da operação e dois desembargadores do TRF-4
Brasil

CNJ afasta ex-juíza da Lava-Jato, atual titular da vara da operação e dois desembargadores do TRF-4

Há 5 horas

Após TRE absolver Moro, Barroso pauta processo sobre Lava-Jato no CNJ
Brasil

Após TRE absolver Moro, Barroso pauta processo sobre Lava-Jato no CNJ

Há 5 dias

Seis anos depois, STF volta a debater alcance do foro privilegiado e avalia novos critérios
Brasil

Seis anos depois, STF volta a debater alcance do foro privilegiado e avalia novos critérios

Há 2 semanas

PT rejeita recurso contra filiação de Marta Suplicy, que será vice de Guilherme Boulos
Brasil

PT rejeita recurso contra filiação de Marta Suplicy, que será vice de Guilherme Boulos

Há 2 semanas

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais