Brasil

Dilma: governo decide até junho se amplia Minha Casa, Minha Vida

Presidente explicou que será feita uma avaliação do andamento do programa, quando poderá ser decidida a ampliação da meta atual, de 2 milhões de moradias

Dilma enfatizou parcerias recentes que seu governo tem feito com a administração do PSDB, de Geraldo Alckmin (Ichiro Guerra/Presidência da República)

Dilma enfatizou parcerias recentes que seu governo tem feito com a administração do PSDB, de Geraldo Alckmin (Ichiro Guerra/Presidência da República)

DR

Da Redação

Publicado em 12 de janeiro de 2012 às 13h28.

São Paulo - O governo federal decidirá até junho se ampliará em ao menos 400 mil unidades a meta de moradias contratadas dentro do programa Minha Casa, Minha Vida 2, atualmente em 2 milhões de unidades, afirmou nesta quinta-feira a presidente Dilma Rousseff.

Se concretizada a ampliação, as unidades adicionais serão destinadas a famílias com renda de até 1,6 mil reais por mês, disse Dilma durante discurso em São Paulo.

"Como prometemos quando lançamos o Minha Casa, Minha Vida 2 2 milhões de moradias, nós estamos considerando até junho ampliar este número para mais de 400 mil", disse Dilma durante assinatura de parceria entre os governos federal e estadual para a construção de unidades do programa.

"Isso significa 400 mil moradias para essa faixa de renda de até 1,6 mil reais", disse ela.

A presidente explicou que, em junho, será feita uma avaliação do andamento do programa, quando poderá ser decidida a ampliação da meta atual, de 2 milhões de moradias contratadas até 2014, sendo que 500 mil delas deverão ser realizadas neste ano.

O vice-presidente da Caixa, José Urbano Duarte, disse ser "factível" o cumprimento da meta, e demonstrou otimismo com a ampliação

"No ritmo que nós estamos neste momento dá conta de que os 2 milhões são possíveis de serem superados", disse ele.

"Decoro governamental"

Durante o evento, no qual também discursou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), Dilma enfatizou parcerias recentes que seu governo tem feito com a administração do PSDB, que há 18 anos está no comando do Estado.

"Podemos ter nossas divergências eleitorais, mas acabou a eleição, essas divergências eleitorais deixam de existir", disse a presidente, que em pouco mais de um ano de governo participou de sua terceira cerimônia no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista.

"Eu tenho dito no governo federal que, assim como há o decoro parlamentar, também há o decoro governamental. E o decoro governamental consiste em perceber que não se faz, que não se pode ter dentro de políticas governamentais uma relação de atrito com Estados e municípios".

Assim como Alckmin, que falou antes da presidente, Dilma lembrou das parcerias realizadas com o governo paulista, como no programa Brasil sem Miséria e na ampliação do Rodoanel, que interliga as principais estradas do Estado na capital.

Acompanhe tudo sobre:Dilma RousseffGeraldo AlckminGovernadoresGoverno DilmaHabitação no BrasilMinha Casa Minha VidaPersonalidadesPolítica no BrasilPolíticosPolíticos brasileirosPT – Partido dos Trabalhadores

Mais de Brasil

Prejuízos com chuvas no RS superam R$ 12 bilhões; setor habitacional é o mais afetado

Presidente do Solidariedade, alvo de operação da PF, se entrega em Brasília

Inscritos no Enem saltam 28% e atingem 5 milhões; MEC prorroga inscrições para gaúchos até dia 21

PUC-Rio pode ir à Justiça por curso de Medicina

Mais na Exame