Brasil

Desemprego foi de 7,5% para homens e 11,6% para mulheres no 2º tri

A taxa de desemprego segue mais alta entre pretos e pardos

A taxa de desocupação para as pessoas com ensino médio incompleto foi de 15,3% (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

A taxa de desocupação para as pessoas com ensino médio incompleto foi de 15,3% (Marcelo Camargo/Agência Brasil)

EC

Estadão Conteúdo

Publicado em 12 de agosto de 2022 às 11h51.

Apesar da melhora no mercado de trabalho, o desemprego entre as mulheres permanecia consideravelmente mais elevado do que entre os homens no País no segundo trimestre de 2022, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa de desemprego foi de 7,5% para os homens no segundo trimestre, ante um resultado de 11,6% para as mulheres.

Por cor ou raça, a taxa de desemprego ficou abaixo da média nacional para os brancos, em 7,3%, muito aquém do resultado para os pretos (11,3%) e pardos (10,8%).

A taxa de desocupação para as pessoas com ensino médio incompleto foi de 15,3%, mais que o triplo do resultado para as pessoas com nível superior completo, cuja taxa foi de 4,7%.

Na média nacional, a taxa de desemprego foi de 9,3% no segundo trimestre deste ano.]

LEIA TAMBÉM:

Desemprego cai de forma significativa em 22 unidades da Federação no 2º tri

Desemprego entre jovens precisa de atenção especial

Um em cada quatro brasileiros não consegue fechar as contas do mês, aponta CNI

Acompanhe tudo sobre:Desempregoeconomia-brasileiraHomensMulheresSeguro-desemprego

Mais de Brasil

Arthur Lira pauta PEC da Anistia no plenário da Câmara nesta terça-feira

Mauro Cid chega à PF e presta novo depoimento sobre caso do desvio de joias do acervo presidencial

Funai defende continuidade de ações na Terra Yanomami

Datafolha: governo Lula é aprovado por 36% e desaprovado por 31%

Mais na Exame