Brasil

Cidade de SP deve ter festa de réveillon e Carnaval em 2022, diz prefeito

As últimas edições precisaram ser canceladas por conta do alto número de casos de covid-19. Comissão foi criada para definir blocos de rua

Carnaval está previsto para os dias 18 a 26 de fevereiro. (EDSON LOPES JR/SECOM/Divulgação)

Carnaval está previsto para os dias 18 a 26 de fevereiro. (EDSON LOPES JR/SECOM/Divulgação)

GG

Gilson Garrett Jr

Publicado em 1 de julho de 2021 às 16h00.

Última atualização em 1 de julho de 2021 às 16h28.

A cidade de São Paulo deve realizar as próximas festas de réveillon e de Carnaval em 2022. A afirmação foi feita pelo prefeito da cidade, Ricardo Nunes, em uma coletiva de imprensa nesta quinta-feira, 1° de julho. As últimas festas foram canceladas pela prefeitura em decorrência da pandemia de covid-19.

“A princípio, a gente vai estar organizando, se preparando para ter o Carnaval. Nós chegamos em 62% do número de leitos de UTI. Tivemos na faixa de 80%, e hoje, não é que é confortável, mas nos deixa um pouco mais tranquilos com relação aos leitos de UTI. A vacinação está acompanhando. Nós passamos de 7 milhões de doses de vacinas na cidade de São Paulo, com 56% da população eletiva já vacinada. A princípio, a cidade terá réveillon, terá Carnaval”, disse Nunes.

Os números de vacinação citados pelo prefeito se referem a pessoas imunizadas com pelo menos a primeira dose. Considerando a população que tomou as duas doses, ou recebeu a dose única da Janssen, o número de pessoas completamente protegidas equivale a 14% da população.

O prefeito ainda se reuniu com os secretários para definir alguns passos e viabilizar o Carnaval de rua, caso as confirmações de novas infecções de covid-19 continuem em queda. Para isso, foi criada uma comissão para planejar por oito meses a realização dos blocos de rua. Esta equipe vai definir, por exemplo, como serão as inscrições dos blocos, as estruturas físicas e o patrocínio.

A tradicional festa de réveillon na Avenida Paulista é realizada desde 1996 no famoso ponto turístico da capital de São Paulo. Foi a primeira vez que a cidade precisou cancelar o evento, assim como a  Parada do Orgulho LGBTQIA+, que teve formato virtual, tanto em 2020 quanto em 2021.

Vacinação

A meta tanto da cidade de São Paulo quanto do governo estadual é imunizar com pelo menos a primeira dose toda a população adulta até o dia 15 de setembro. Nas últimas semanas a capital enfrentou problemas na imunização e precisou interromper a aplicação por falta de vacinas.

Na terça-feira, dia 29, o governador de São Paulo, João Doria, disse que o calendário pode ser antecipado, caso o Ministério da Saúde consiga adiantar mais doses aos estados e municípios.

Acompanhe tudo sobre:ano-novoCarnavalRicardo Nunes

Mais de Brasil

UPA: o que você precisa saber para ser atendido

Passaporte brasileiro: quanto custa e como tirar

Datena vai sair de férias e tirar licença para disputar as eleições, diz presidente do PSDB de SP

Anvisa emite informe de segurança sobre reações adversas a cosméticos

Mais na Exame