Acompanhe:

Censo 2022: Pará, Amapá e Rondônia ainda têm menos da metade da população com água encanada

Entre as cidades, Manaus, Nova Iguaçu, Duque de Caxias e São Gonçalo ainda têm mais de 20 mil moradores sem qualquer acesso à água na torneira

Modo escuro

Continua após a publicidade
O acesso à rede geral de água cresceu em 23 das 27 unidades da federação entre 2010 e 2022, mas caiu em quatro estados (Moyo Studio/Getty Images)

O acesso à rede geral de água cresceu em 23 das 27 unidades da federação entre 2010 e 2022, mas caiu em quatro estados (Moyo Studio/Getty Images)

O serviço de abastecimento de água canalizada cresceu nos últimos 12 anos no país, mas ainda está longe de ser universalizado. Menos da metade da população que mora no Pará, Amapá e Rondônia, três estados da Região Norte, tem acesso à rede geral como fonte principal de acesso. São os únicos estados em que o serviço ainda não alcança a maior parte dos lares.

É o que mostram os dados do Censo Demográfico 2022, divulgados nesta sexta-feira pelo IBGE, que reúne informações sobre saneamento. O acesso à rede geral de água cresceu em 23 das 27 unidades da federação entre 2010 e 2022, mas caiu em quatro estados.

Acesso à rede geral de água

Para chegar a essa conclusão, o IBGE analisa o percentual de moradores que tem o acesso à rede geral de água como sua fonte principal de abastecimento.

Veja abaixo como é e como era o acesso à agua encanada no país. Caso não esteja visualizando a ferramenta interativa, clique aqui.

No Amapá, 43% dos moradores informaram ter a rede geral como principal fonte de abastecimento de água. Em Rondônia, esse percentual é de 45%.

No Pará, a proporção é de 48% - nos últimos 12 anos, houve uma pequena melhora no estado, com alta de um ponto percentual nesse indicador. São as únicas unidades da federação em que o percentual de moradores com acesso à rede geral é inferior a 50%.

Na outra ponta, São Paulo e Distrito Federal têm percentual de cobertura acima de 92%, mais que o dobro do observado do Amapá.

Falta de água encanada é maior no Norte e Nordeste

A proporção de pessoas morando em lares sem água encanada é mais elevada no Norte e Nordeste, conforme aponta o IBGE. Esse percentual é de 6,5% e 6%m respectivamente. São valores dez vezes superiores ao observado no Centro-Oeste (0,5%), Sudeste (0,4%) e Sul (0,2%).

Para se ter ideia da situação , a proporção de pessoas sem água encanada no Norte e Nordeste é três vezes a verificada no Sul (2,5%) e Sudeste (2%) 22 anos atrás, segundo o recenseamento de 2000.

O IBGE mudou a forma como classifica o abastecimento de água nos domicílios. Em 2022, os moradores informavam qual era a principal forma de abastecimento de água, no caso dos respondentes que indicavam mais de uma modalidade.

Em 2010, o recenseador só registrava a forma que se enquadrava primeiro na ordem relacionada. Assim, o Censo em 2010 investigou a “melhor forma” de abastecimento de água, enquanto em 2022 investigou a “principal forma”.

No Sudeste, lares em grandes cidades ainda não têm água nas torneiras

Quando se analisam os municípios brasileiros, a falta d’água na torneira também afeta milhares de pessoas que moram nas grandes cidades. Municípios populosos como Manaus (AM), Nova Iguaçu (RJ), Duque de Caxias (RJ) e São Gonçalo (RJ) ainda têm mais de 20 mil moradores sem acesso à água encanada dentro de casa.

Veja abaixo as cidades com mais moradores com água encanada.

No Censo de 2010, a situação mais crítica era a da capital amazonense. Manaus era o município do país com mais pessoas sem água encanada: 131 mil moradores. Em seguida aparecia Porto Velho (RO), Rio Branco (AC) e Belém (PA).

Hoje, Porto Velho e Rio Branco já deixaram o ranking das 30 cidades com mais moradores sem acesso à água pela rede geral. E a cidade de Belém saiu da 4ª para a 18º posição, com o contingente caindo de 72 mil para 19 mil.

Mas há grandes cidades no estado do Rio de Janeiro que ainda ocupam posições elevadas no ranking, a despeito de alguma queda do contingente de moradores sem água encanada nos últimos 12 anos. É o caso de Nova Iguaçu (RJ), Duque de Caxias (RJ), São Gonçalo (RJ) e Belford Roxo (RJ).

Créditos

Últimas Notícias

Ver mais
Governo Tarcísio anuncia desconto de 10% na tarifa social da Sabesp com privatização
Brasil

Governo Tarcísio anuncia desconto de 10% na tarifa social da Sabesp com privatização

Há um dia

África do Sul: uso da água da chuva dribla mudanças climáticas em vinhedos
ESG

África do Sul: uso da água da chuva dribla mudanças climáticas em vinhedos

Há um dia

Tecnologia israelense identifica água contaminada por indústria farmacêutica
ESG

Tecnologia israelense identifica água contaminada por indústria farmacêutica

Há 2 dias

Olimpíadas de Paris: se chover, qualidade da água do Sena pode adiar maratona aquática
ESG

Olimpíadas de Paris: se chover, qualidade da água do Sena pode adiar maratona aquática

Há uma semana

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais