Brasil

Câmara livra Temer pela segunda vez; veja como foi a votação

Assista a cobertura completa da votação da admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer

Votação de denúncia contra Michel Temer na Câmara dos Deputados (REUTERS/Ueslei Marcelino/Reuters)

Votação de denúncia contra Michel Temer na Câmara dos Deputados (REUTERS/Ueslei Marcelino/Reuters)

Luiza Calegari

Luiza Calegari

Publicado em 25 de outubro de 2017 às 08h23.

Última atualização em 26 de outubro de 2017 às 11h30.

São Paulo - A Câmara dos Deputados barrou o avanço da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer. Ele foi denunciado pelo agora ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, por obstrução da Justiça e organização criminosa.

Como foi a sessão de votação da denúncia contra Temer:

yt thumbnail

21h30 - Termina a votação

Com 12 votos a menos do que na votação da primeira denúncia, a Câmara dos Deputados encerra a sessão que analisou a denúncia contra Temer por organização criminosa e obstrução da Justiça.

O placar final ficou assim: 251 votos favoráveis a arquivar a denúncia, 233 contrários, duas abstenções e 25 ausências.


20h42 - Câmara barra denúncia, mas votação continua

Mais uma vez, a Câmara dos Deputados livra o presidente Michel Temer (PMDB) do risco de virar réu no Supremo Tribunal Federal (STF).

Até por volta de 20h40, foram declarados 308 votos, com 163 votos a favor de Temer, 148 votos contra, além de 16 ausências e uma abstenção.

Só o placar final da votação trará um diagnóstico real sobre a saúde da governabilidade de Michel Temer para os 14 meses que lhe restam no governo. A sessão continua.


20h26 -  PLACAR PARCIAL DE VOTOS

SIM: 158

Não: 142

AUSENTES: 15

ABSTENÇÕES: 0

Votam neste momento os deputados do Rio de Janeiro


20h20 - Temer tem alta e vai para o Jaburu

A assessoria de imprensa do Palácio do Planalto confirmou que o presidente Michel Temer já teve alta.

Temer sentiu um desconforto hoje por volta do meio dia, enquanto despachava em seu gabinete, e pediu atendimento médico do Planalto.

Após avaliação preliminar o plantonista que o atendeu decidiu levá-lo a coordenadoria de Saúde do Planalto. Depois de uma avaliação, o médico constatou uma obstrução urológica e recomendou que o presidente fosse avaliado no Hospital do Exército, onde chegou às 12h50.

O presidente Michel Temer deixa o Hospital do Exército na noite do dia 25/10/2017, após passar o dia internado

O presidente Michel Temer deixa o Hospital do Exército na noite do dia 25/10/2017, após passar o dia internado (Ueslei Marcelino/Reuters)  (Ueslei Marcelino/Reuters/Reuters)


20h19 - PLACAR PARCIAL DE VOTOS

SIM: 133

Não: 111

AUSENTES: 11

ABSTENÇÕES: 0

Votam agora os deputados do Maranhão 


20h08 - PLACAR PARCIAL DE VOTOS:

SIM: 116

Não: 92

AUSENTES: 9

ABSTENÇÕES: 0


19h55 - Acre 

ALAN RICKDEMACNão
ANGELIMPTACNão
CÉSAR MESSIASPSBACNão
FLAVIANO MELOPMDBACNão
JÉSSICA SALESPMDBACSim
LEO DE BRITOPTACNão
MOISÉS DINIZPCdoBACNão
ROCHAPSDBACNão

19h54 - Votação expressa

Até o momento, mais de 150 deputados já votaram.


19h52 - Distrito Federal 

ALBERTO FRAGADEMDFSim
AUGUSTO CARVALHOSDDFNão
ERIKA KOKAYPTDFNão
IZALCI LUCASPSDBDFSim
LAERTE BESSAPRDFSim
ROGÉRIO ROSSOPSDDFSim
RONALDO FONSECAPROSDFSim
RÔNEY NEMERPPDFSim

19h48 - Goiás

ALEXANDRE BALDYPODEGOSIm
CÉLIO SILVEIRAPSDBGOSim
DANIEL VILELAPMDBGOSim
DELEGADO WALDIRPRGONão
FÁBIO SOUSAPSDBGONão
FLÁVIA MORAISPDTGONão
GIUSEPPE VECCIPSDBGOSim
HEULER CRUVINELPSDGONão
JOÃO CAMPOSPRBGONão
JOVAIR ARANTESPTBGOSim
LUCAS VERGILIOSDGOSim
MAGDA MOFATTOPRGOSim
MARCOS ABRÃOPPSGONão
PEDRO CHAVESPMDBGOSim
ROBERTO BALESTRAPPGOSim
RUBENS OTONIPTGONão
THIAGO PEIXOTOPSDGOSim

 


19h47 - Rondônia

EXPEDITO NETTOPSDRONão
LINDOMAR GARÇONPRBROSim
LUCIO MOSQUINIPMDBROSim
LUIZ CLÁUDIOPRROSim
MARCOS ROGÉRIODEMRONão
MARIANA CARVALHOPSDBRONão
MARINHA RAUPPPMDBROSim
NILTON CAPIXABAPTBROSim

19h45 - Amazonas 

ALFREDO NASCIMENTOPRAMSim
Carlos SouzaPSDAMAusente
ÁTILA LINSPSDAMSim
CONCEIÇÃO SAMPAIOPPAMNão
HISSA ABRAHÃOPDTAMAusente
PAUDERNEY AVELINODEMAMSim
SABINO CASTELO BRANCOPTBAMAusente
SILAS CÂMARAPRBAMSim

19h41 - Mato Grosso do Sul 

CARLOS MARUNPMDBMSSIM
DAGOBERTO NOGUEIRAPDTMSNão
ELIZEU DIONIZIOPSDBMSSim
GERALDO RESENDEPSDBMSSim
MANDETTADEMMSNão
TEREZA CRISTINAPSBMSSim
VANDER LOUBETPTMSNão
ZECA DO PTPTMSNão

19h39 - PARANÁ

ALEX CANZIANIPTBPRSim
ALFREDO KAEFERPSLPRSim
ALIEL MACHADOREDEPRNão
ASSIS DO COUTOPDTPRNão
CHRISTIANE DE SOUZA YAREDPRPRNão
DELEGADO FRANCISCHINISDPRNão
DIEGO GARCIAPHSPRNão
DILCEU SPERAFICOPPPRSim
EDMAR ARRUDAPSDPRSim
ENIO VERRIPTPRNão
EVANDRO ROMANPSDPRSim
GIACOBOPRPRSim
HERMES PARCIANELLOPMDBPRSim
JOÃO ARRUDAPMDBPRSim
LEANDREPVPRNão
LEOPOLDO MEYERPSBPRNão
LUCIANO DUCCIPSBPRNão
LUIZ CARLOS HAULYPSDBPRSim
LUIZ NISHIMORIPRPRSim
NELSON MEURERPPPRSim
NELSON PADOVANIPSDBPRSIm
OSMAR BERTOLDIDEMPRSim
OSMAR SERRAGLIOPMDBPRSim
REINHOLD STEPHANESPSDPRSim
RUBENS BUENOPPSPRNão
SANDRO ALEXPSDPRNão
SERGIO SOUZAPMDBPRSim
TAKAYAMAPSCPRSim
TONINHO WANDSCHEERPROSPRSim
ZECA DIRCEUPTPRNão

19h30 - PARÁ

ARNALDO JORDYPPSPANão
BETO FAROPTPANão
BETO SALAMEPPPASim
DELEGADO ÉDER MAUROPSDPANão
EDMILSON RODRIGUESPSOLPAAusente
ELCIONE BARBALHOPMDBPASim
FRANCISCO CHAPADINHAPODEPASim
HÉLIO LEITEDEMPASim
JOAQUIM PASSARINHOPSDPANão
JOSÉ PRIANTEPMDBPASim ?
JOSUÉ BENGTSONPTBPASim
JÚLIA MARINHOPSCPASim
LÚCIO VALEPRPASim
NILSON PINTOPSDBPASim
SIMONE MORGADOPMDBPASim
WLADIMIR COSTASDPASim
ZÉ GERALDOPTPANão

19h26 - AMAPÁ 

ANDRÉ ABDONPPAPSim
CABUÇU BORGESPMDBAPSim
JANETE CAPIBERIBEPSBAPNão
JOZI ARAÚJOPODEAPSim
MARCOS REATEGUIPSDAPSim
PROFESSORA MARCIVANIAPCdoBAPNão
ROBERTO GÓESPDTAPAusente
VINICIUS GURGELPRAPAusente

19h23 - Como votaram os deputados de Santa Catarina

CARMEN ZANOTTOPPSSCNãoNÃO
CELSO MALDANERPMDBSCSimSIM
CESAR SOUZAPSDSCSimSIM
DÉCIO LIMAPTSCNãoNÃO
ESPERIDIÃO AMINPPSCNãoNão
GEOVANIA DE SÁPSDBSCNãoNÃO
JOÃO PAULO KLEINÜBINGPSDSCNãoSIM
JOÃO RODRIGUESPSDSCSimSIM
JORGE BOEIRAPPSCNãoNÃO
JORGINHO MELLOPRSCNãoNÃO
MARCO TEBALDIPSDBSCausenteSIM
MAURO MARIANIPMDBSCNãoSIM
PEDRO UCZAIPTSCNãoNÃO
ROGÉRIO PENINHA MENDONÇAPMDBSCSimSIM
RONALDO BENEDETPMDBSCSimSIM
VALDIR COLATTOPMDBSCSimSIM

19h18 - Como votaram os deputados do Rio Grande do Sul

AFONSO HAMMPPRSNÃO
AFONSO MOTTAPDTRSNão
ALCEU MOREIRAPMDBRSSim
BOHN GASSPTRSNão
CAJAR NARDESPRRSSim
CARLOS GOMESPRBRSSim
COVATTI FILHOPPRSSim
DANRLEI DE DEUS HINTERHOLZPSDRSNão
DARCÍSIO PERONDIPMDBRSSim
GIOVANI CHERINIPRRSsim
HEITOR SCHUCHPSBRSnão
HENRIQUE FONTANAPTRSNão
JERÔNIMO GOERGENPPRSNão
Jones MartinsPMDBRSSim
JOÃO DERLYREDERSNão
JOSÉ FOGAÇAPMDBRSSim
JOSÉ OTÁVIO GERMANOPPRSSim
JOSE STÉDILEPSBRSNão
LUIS CARLOS HEINZEPPRSNão
MARCO MAIAPTRSNão
MARCONPTRSNão
MARIA DO ROSÁRIOPTRSNão
MAURO PEREIRAPMDBRSSim
ONYX LORENZONIDEMRSNão
PAULO PIMENTAPTRSNão
PEPE VARGASPTRSNão
POMPEO DE MATTOSPDTRSnão
RENATO MOLLINGPPRSSim
RONALDO NOGUEIRAPTBRSSim
SÉRGIO MORAESPTBRSSim
YEDA CRUSIUSPSDBRSausente

 


19h06 - Como votam os deputados de Roraima

Nome ParlamentarPartidoUFVOTO 2 DENÚNCIA
ABEL MESQUITA JR.DEMRRNão
CARLOS ANDRADEPHSRRNão
EDIO LOPESPRRRSIM
HIRAN GONÇALVESPPRRSIM
JHONATAN DE JESUSPRBRRSIM
MARIA HELENAPSBRRSIM
REMÍDIO MONAIPRRRSIM
SHÉRIDANPSDBRRNÃO

19h02 - Como votam os deputados de Roraima

 


18h55 - Como votam os partidos

Sim = a favor de barrar a denúncia | Não = contra barrar a denúncia

PMDB: Sim

PT: Não

PP: Sim

PSDB: libera a bancada

PSD: Sim

PR: Sim

PSB: Não

PTB: Sim

PDT: Não

Podemos: libera a bancada

PRB: Sim

PCdoB: Não

Solidariedade: Sim

PSC: Sim

PPS: Não

PHS: Não

PV: libera a bancada

PSol: Não

Rede: Não

PEN: Sim

Minoria: Não

Maioria: Sim

*Em atualização


18h35 — Protesto em São Paulo 

A CUT faz manifestação em frente ao escritório de Michel Temer na Avenida Paulista.


18h:32 - Os líderes partidários encaminham os votos


18h29  - Maia dá instruções sobre como será a votação

Os deputados de Rondônia serão os primeiros a votar.


17h58 - Enquanto isso...

Após ter sido submetido a uma sondagem vesical de alívio por vídeo na tarde de hoje, o presidente Michel Temer está em repouso, passa bem e deverá ter alta ainda hoje, segundo a assessoria do Planalto. 


17h39 - Líderes fazem orientações de bancada


17h16 -  Plenário rejeita pedido de retirada de pauta da denúncia 

Os deputados rejeitaram o requerimento que pedia a retirada de pauta do pedido de autorização para o Supremo Tribunal Federal (STF) processar o presidente Michel Temer (PMDB) e os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral).


17h06 - Plenário debate pedido de retirada de pauta da denúncia contra o presidente 

 

 


17h03 - Governo alcança quórum mínimo para votar denúncia

357 parlamentares registraram presença no plenário.


16h59 - No momento há 338 deputados registrados no plenário

Faltam apenas 4 parlamentares para formar o quórum necessário para começar a votação da denúncia contra Temer.


16h40 - O hospital onde Temer está internado:

Hospital Militar onde o presidente Michel Temer foi internado em 25/10/2017 (Ueslei Marcelino/Reuters)

Hospital Militar onde o presidente Michel Temer foi internado em 25/10/2017 (Ueslei Marcelino/Reuters) (Ueslei Marcelino/Reuters/Reuters)


16h12 - Temer já passou por procedimento de desobstrução

Segundo a coluna de Lauro Jardim, em O Globo, o presidente Michel Temer já passou por um procedimento de desobstrução da uretra. No momento, ele está em repouso, mas a previsão é de alta ainda hoje. Não se sabe, no entanto, se Temer retornaria ao Planalto ou ao Jaburu.


16h05 - Presença dos deputados da base em votação:

  • PSDB: 34 de 46 deputados
  • DEM: 24 de 30
  • PMDB: 53 de 61
  • PP: 38 de 44

15h54 - 278 deputados marcaram presença; há cerca de 400 pessoas na Câmara


15h38 - 263 deputados registraram presença na Câmara

São necessários pelo menos 342 parlamentares para que a votação da denúncia possa começar.


15h24 - Planalto confirma que Temer está em hospital

Segundo a nota oficial, o presidente sentiu desconforto e foi diagnosticado com "obstrução urológica". Ele foi examinado no Planalto e encaminhado para o Hospital do Exército para fazer mais exames.


14h56 - Governistas tentam novamente encher a sessão

Com o início de uma nova sessão, os deputados governistas voltaram a tentar encher o plenário. São necessários 342 parlamentares registrados para que a votação possa começar, mas membros da oposição presentes na Câmara não registraram presença para forçar o adiamento da votação.


14h35 - Maia encerra sessão por falta de quórum e convoca uma nova

A primeira sessão plenária da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB) terminou sem atingir o quórum necessário para começar a votação. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), convocou nova sessão com a mesma pauta para as 14h30.

14h31 - Temer passa mal e é internado em Brasília

A GloboNews informou que o presidente Michel Temer passou mal e foi internado em um hospital de Brasília.


14h24 - Deputados fazem contagem regressiva para pressionar pelo fim da sessão

Há gritos de Fora Temer na Câmara.


13h59 - Governistas pedem adiamento da votação por um dia

Rodrigo Maia recebeu o requerimento para adiar a votação e ele foi barrado em votação simbólica, mas agora está sendo debatido. A sessão foi estendida por uma hora às 13h19, por isso o prazo para encher o plenário vai até as 14h19. Os deputados da base aliada estão convocando os presentes a se registrarem para que a votação possa começar.


13h40 - Aliados correm contra o tempo para encher o plenário

Aliados de Temer têm até as 14h19 para atingir o quórum de 342 deputados presentes e iniciar a votação. Se isso não acontecer, a sessão tem que ser fechada e aberta novamente, e todos os deputados terão que se registrar de novo. Se o quórum for atingido, deputados da oposição devem ir ao plenário. Por enquanto, eles estão em um salão separado, em uma estratégia para esvaziar a sessão.


13h06 - Oposição monta plenário paralelo para tentar adiar votação

O ato faz parte do movimento dos opositores de não registrar presença na sessão, para tentar provocar o adiamento da votação da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer apresentada pela Procuradoria-Geral da República (PGR).


12h43 - "Cabeças pretas" do PSDB ainda não registraram presença

Os deputados do grupo conhecido como "cabeças pretas" do PSDB (da ala mais jovem, em oposição aos caciques tradicionais, os "cabeças brancas") ainda não registraram presença na sessão da Câmara para votar a denúncia contra Temer, segundo a GloboNews. A situação do partido no governo está crítica: muitos aliados defendem que o governo Temer retire ministérios do PSDB por falta de lealdade.


12h25 - Há 264 parlamentares inscritos 

É aguardado o quórum mínimo de 342 deputados para que a votação seja iniciada.


12h01 - Defesa de Temer diz que denúncia quer destituir presidente

“O que se pretendeu foi atacar vilmente a figura do presidente da República, olvidando-se a história do presidente da República”, protestou o advogado do presidente Michel Temer, Eduardo Carnelós.


11h50 - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), reassume a sessão

Neste momento, a Casa aguarda o quorum mínimo de 342 deputados para começar a  votação. Há 239 deputados registrados na sessão.


11h41 - PTB defende permanência de Temer até 2018

Ao citar indicadores econômicos, o deputado Deputado Nelson Marquezelli (PTB-SP) afirmou que é preciso ter bom senso.

"Nós estamos a um ano das eleições. O país está estabilizado. Estamos reduzindo o desemprego e aumentando a área produtiva", afirmou.


11h27 - Temer disse que deputados que não o defendem "se apequenam"

A jornalista Andreia Sadi, do G1, contou em seu blog que o presidente Michel Temer desprezou deputados que dizem adorá-lo, mas não votam a seu favor na Câmara. "O único sentimento que tenho é de pena. Aquela figura, que, às vezes, é até maior do que eu, vai se apequenando, e a impressão que tenho é que é do tamanho do meu sapato", teria dito o presidente ontem, em jantar com aliados.


11h14 - Deputados agora poderão se pronunciar sobre a denúncia

Oradores que se inscreveram poderão falar por até 5 minutos cada um, alternando posições contrárias e favoráveis ao parecer da denúncia. Após o quarto orador, pode ser apresentado um requerimento de encerramento da discussão.

Até agora, há 189 deputados registrados na sessão. O número não é suficiente para que se inicie a votação.


11h11 - Advogado de Moreira Franco também ataca o Ministério Público

Terceiro dos advogados de defesa a falar no plenário da Câmara hoje, Antônio Pitombo criticou a atuação da PGR na denúncia, assim como os dois defensores anteriores. Ele citou, inclusive, uma relação "promíscua" entre o Ministério Público e a mídia, e acusou o MP de falar em "organização criminosa" para "perseguir os inimigos".


11h02 - Agora fala Antonio Pitombo, advogado do ministro Moreira Franco


10h47 - Advogado de Padilha diz que há criminalização da política

Daniel Gerber afirmou, em discurso, que a denúncia contra Temer, Padilha e Moreira Franco faz parte de uma tentativa de criminalização da política. "Vossas Excelências são vítimas diárias de acusações como esta. Hoje, defendo o ministro, defendemos o presidente. Mas amanhã, qualquer um dos senhores será alvo desse processo de etiquetamento", afirmou.


10h37 - Fala agora o advogado do ministro Eliseu Padilha, Daniel Gerber


10h35 - Advogado diz que denúncia não pode ser baseada em delações

Eduardo Carnelós, advogado de Temer, atacou a PGR, dizendo que as "flechas" de Janot eram feitas de bambu "sujo, porco", e disse que "a simples palavra de delatores não ´é suficiente para o recebimento da denúncia". Ele colocou em xeque a autenticidade da delação de Lúcio Funaro e afirmou que Temer não falou de dinheiro na conversa gravada com Joesley Batista.

10h15 - Advogado de Temer agora se pronuncia contra a denúncia

O advogado do presidente Michel Temer, Eduardo Carnelós, terá agora 25 minutos para falar.

10h06 - Protestos na Câmara

Oposição faz protesto na Câmara e deputados pedem "Fora Temer".

https://twitter.com/GeorgMarques/status/923158046234247168

10h03 - Relator diz que denúncia não tem fundamento

O deputado Bonifácio de Andrada, responsável pelo parecer recomendando a rejeição da denúncia, afirma que as acusações feitas por Rodrigo Janot não têm fundamento. Ele disse que a PGR está "agindo politicamente" contra o presidente Michel Temer. "É uma denúncia inteiramente falsa e esvaziada", decretou.

09h49 - Plenário começa a avaliar denúncia

Agora, o relator do parecer na CCJ terá 25 minutos para explicar seus argumentos. Bonifácio de Andrada recomendou que a denúncia seja rejeitada. Em seguida, cada um dos advogados dos três denunciados (Temer, Eliseu Padilha e Moreira Franco) poderá se manifestar pelo mesmo tempo do relator.

9h38 - Câmara ainda não tem quórum para votação

Os deputados aliados de Temer que já chegaram no plenário estão convocando os colegas a registrarem presença para que a deliberação possa começar. Para abrir a sessão, é necessário que haja 52 deputados registrados; por enquanto, há cerca de 45. Uma das estratégias da oposição para atrasar a votação é justamente evitar que haja o número mínimo necessário de deputados no plenário.

9h14 - Temer vai acenar ao mercado após votação

Como o governo tem altas expectativas de barrar a denúncia, o presidente Michel Temer já pensa no "discurso da vitória", segundo o jornal Folha de S.Paulo. Ele deve fazer um aceno ao mercado financeiro, anunciando os resultados do leilão do pré-sal e editando a MP de privatização da Eletrobras, para mostrar que não há paralisia em seu governo.

8h57 - Veja como será o rito da votação

A sessão no plenário destinada a votar o parecer aprovado na CCJ está prevista para começar às 9h. O rito da votação deve tomar todo o dia. Para iniciar a sessão, é preciso quórum mínimo de 52 deputados. Depois de alcançado esse número, o relator terá 25 minutos para apresentar seu parecer em plenário.

8h45 - Custo de denúncias contra Temer chega a R$ 32,1 bilhões

A soma das negociações políticas de Temer para barrar as duas denúncias contra ele no Congresso pode atingir R$ 32,1 bilhões. A quantia se refere a concessões e medidas do governo negociadas com parlamentares entre junho e outubro. O preço para impedir o prosseguimento das denúncias supera em R$ 6 bilhões os recursos previstos por Temer para pagar parcelas de famílias beneficiárias do programa Bolsa Família ao longo do ano que vem.

8h33 - Governabilidade de Temer está em jogo

Mais do que conseguir os votos necessários para barrar a denúncia, desta vez o que está em jogo para o governo Temer é mostrar que continua tendo uma base forte de apoio. A tarefa vai ser mais complicada do que na primeira denúncia, porque Temer já enfrenta fragilidade na relação com alguns partidos. Para a Eurasia, até 20 votos favoráveis a menos do que na primeira denúncia ainda são contornáveis; se mais de 30 deputados mudarem de voto, o problema vai ser mais grave.

8h20 - Temer janta com aliados antes de votação

Michel Temer repetiu o ritual e foi a jantar no apartamento do vice-presidente da Câmara, deputado Fabio Ramalho (PMDB-MG), na noite anterior à votação da segunda denúncia criminal contra ele. Segundo Ramalho, mais de cinquenta deputados já passaram no jantar, além do advogado Gustavo Guedes, que defendeu Temer em questões eleitorais.

 

Acompanhe tudo sobre:Câmara dos DeputadosCrise políticaGoverno TemerMichel TemerPolítica

Mais de Brasil

Ramagem presta depoimento à PF nesta quarta sobre a “Abin Paralela”

Lula diz se comprometer com arcabouço fiscal, mas precisa 'estar convencido' sobre cortes de gastos

STF adia pagamento de dívida de Minas Gerais com a União

Baixa umidade causa alerta de 'perigo potencial' em 11 estados, ventanias e chuvas no Nordeste

Mais na Exame