Brasil

Anac avalia regra que dá desconto por mala menor

As novas regras da Anac valeriam apenas para os voos domésticos

Anac quer acabar com peso mínimo da bagagem (Peter Macdiarmid/Getty Images)

Anac quer acabar com peso mínimo da bagagem (Peter Macdiarmid/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 26 de outubro de 2010 às 09h00.

Brasília - A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) prepara resolução para 2011 com novas regras de bagagens, itens de mão e remarcação de voo, entre outros itens do contrato de viagem.

Uma novidade é o fim do peso mínimo da bagagem. Assim, as empresas poderiam oferecer descontos, caso o passageiro queira viajar só com itens de mão, por exemplo.

Atualmente, a passagem para voo doméstico dá direito à franquia de 20 quilos de bagagem - independentemente de o passageiro levar o volume. Agora, a Anac quer aumentar a liberdade para negociar valores.

É o que fazem companhias de baixo custo europeias (Ryanair e Easyjet) e americanas (Jet Blue). Elas não definem limite mínimo de bagagem e algumas chegam a vender apenas o lugar no avião. Por outro lado, cobram a mais por qualquer mala despachada ou mesmo por água a bordo.

As novas regras da Anac valeriam apenas para os voos domésticos, uma vez que a franquia de bagagem para voos internacionais é definida por companhia, conforme regulação específica do país de origem.

Segundo o superintendente de Regulação Econômica da Anac Juliano Noman, a medida ainda será discutida em audiências públicas pelo País. “Queremos rever as normas, mas sabemos que é algo polêmico. Por isso, vamos ouvir empresas e passageiros.” As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Acompanhe tudo sobre:AnacAviaçãoAviõesCrescimento econômicoDesenvolvimento econômicoSetor de transporte

Mais de Brasil

Câmara aprova em primeiro turno PEC da Anistia; veja o que muda

Abin Paralela: tudo o que se sabe sobre monitoramento de ministros do STF, políticos e jornalistas

Novo Ensino Médio: reforma libera escolas a trocar trabalho remunerado ou voluntário por aulas

Força Nacional faz operação em 21 terras indígenas

Mais na Exame