Brasil

Alckmin: possível abuso no Pinheirinho será apurado

A comunidade foi desocupada pela Polícia Militar após decisão judicial que determinou a reintegração de posse do terreno

O governador de São Paulo frisou que, na operação policial, foi cumprida uma determinação judicial (Sérgio Andrade/Governo de SP)

O governador de São Paulo frisou que, na operação policial, foi cumprida uma determinação judicial (Sérgio Andrade/Governo de SP)

DR

Da Redação

Publicado em 23 de janeiro de 2012 às 16h42.

São Paulo - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse hoje que a administração estadual irá avaliar se houve abusos em operação, deflagrada ontem pela Polícia Militar, de reintegração de posse da comunidade Pinheirinho, área de 1,3 milhão de metros quadrados em São José dos Campos (SP). A comunidade foi desocupada pela Polícia Militar após decisão judicial que determinou a reintegração de posse do terreno, que pertence à massa falida da Selecta S/A, do empresário Naji Nahas.

"Sempre é avaliado. A operação foi acompanhada por um juiz de direito, presente todo o tempo, ela foi filmada e documentada. A polícia tem de cumprir ordem judicial", afirmou Alckmin, após participar de evento na capital paulista. Na operação policial, foram usados dois helicópteros, carros blindados e cerca de dois mil soldados do Batalhão de Choque. Segundo a Polícia Militar, não houve resistência, mas três manifestantes ficaram feridos e dezoito foram presos.

O governador de São Paulo frisou que, na operação policial, foi cumprida uma determinação judicial e informou que, a partir de agora, os governos estadual e municipal irão tratar da "questão social". "A prefeitura está agora cadastrando todas as famílias, que serão amparadas", disse ele.

O tucano relatou ainda que foi procurado ontem pelo ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e que o petista foi informado da operação policial e "entendeu perfeitamente" que ordem judicial se cumpre. "Ele é um jurista, ele sabe das decisões judiciais, da necessidade do cumprimento, vamos trabalhar juntos no sentido de atender as famílias que precisam de moradia", afirmou.

Acompanhe tudo sobre:cidades-brasileirasGeraldo AlckminGovernadoresMetrópoles globaisPolítica no BrasilPolíticosPolíticos brasileirossao-pauloViolência urbana

Mais de Brasil

Reforma tributária: relatório será entregue dia 3, após reunião geral com governadores

Chuvas no RS: 74 municípios sofreram danos por alagamentos e deslizamentos nos últimos 10 dias

UPA: o que você precisa saber para ser atendido

Passaporte brasileiro: quanto custa e como tirar

Mais na Exame