EXAME Agro

TerraMagna lança programa nacional de fertilizantes

Guerra na Ucrânia e sanções à Rússia encareceram cotação internacional do produto; Brasil tem buscado alternativas para compra de insumos

Fertilizantes: TerraMagna deve lançar programa para facilitar compra do insumo (Divulgação/Divulgação)

Fertilizantes: TerraMagna deve lançar programa para facilitar compra do insumo (Divulgação/Divulgação)

CA

Carla Aranha

Publicado em 7 de abril de 2022 às 16h03.

A TerraMagna, considerada uma das maiores fintechs voltadas ao agronegócio na América Latina, acaba de lançar o Programa Nacional de Fertilizantes. O benefício é destinado aos distribuidores de insumos e tem o objetivo de liberar crédito para a compra de fertilizantes – com a guerra na Ucrânia e sanções à Rússia, o preço de matérias-primas utilizadas na fabricação de adubos, como potássio e nitrogênio, fornecidos pelos dois países, tem disparado, dificultando a vida do produtor rural.

“Lançamos o Programa Nacional de Fertilizantes para que o distribuidor de insumos possa apoiar seus clientes com a garantia da disponibilidade do produto pela compra à vista”, afirma Bernardo Fabiani, CEO e fundador da TerraMagna. “Ao adquirir antecipadamente, o distribuidor consegue, além de preços melhores, a certeza da entrega do seu fertilizante, um conforto importante nesse momento de incertezas geopolíticas e macroeconômicas”.

A operação será feita através da antecipação de títulos do agro, como CPRs, duplicadas e notas promissórias. Ao todo, devem ser disponibilizados 500 milhões de reais para o programa, que é aberto da distribuidores de todo o Brasil.

As inscrições para o Programa Nacional de Fertilizantes TerraMagna poderão ser feitas entre 07 de abril e 06 de maio através do site da empresa.

Com uma carteira de ativos de 120 milhões de reais, a TerraMagna fornece financiamento para revendas e distribuidores de insumos do agronegócio, que repassam os valores a pequenos e médios agricultores. Tecnologias avançadas de análise de crédito desenvolvidas pela TerraMagna permitem uma oferta de recursos mais assertiva – com isso, os juros tendem a ser relativamente menores, acompanhados de condições de pagamento que fazem mais sentido para o produtor rural.

O setor de crédito rural movimenta mais de 600 bilhões de reais por ano no país, segundo estimativas de mercado. As linhas ofertas por bancos públicos, por meio de programas como o Plano Safra, movimentam mais de 250 bilhões de reais por ano. “É um mercado abrangente que, uma vez fortalecido, deve contribuir para o aumento da produtividade e crescimento do próprio agronegócio”, diz Fabiani.

 

 

Acompanhe tudo sobre:AgronegócioExame-AgroFertilizantes

Mais de EXAME Agro

Agro paulista cresce 12,8% nos primeiros cinco meses de 2024

"Não temos compromisso com o erro", diz Fávaro sobre cancelamento do leilão de arroz

Safra de milho deve se manter em 127 milhões de toneladas no Brasil, prevê USDA

Brasil deve colher 169 milhões de toneladas de soja na safra 2024/25, estima USDA

Mais na Exame