EXAME Agro

Exportação de ovos brasileiros mais do que triplica em setembro

Em menos de nove meses, o setor mais do que dobrou os embarques realizados ao longo de todo o ano passado

Líder de um setor em franca consolidação, Granja Faria tem 10% do mercado brasileiro e vê espaço para um grande player com share de 25% no médio prazo (Foto: Wenderson Araujo/Trilux/Sistema Senar-CNA) (Wenderson Araujo/Trilux/Sistema Senar-CNA/Divulgação)

Líder de um setor em franca consolidação, Granja Faria tem 10% do mercado brasileiro e vê espaço para um grande player com share de 25% no médio prazo (Foto: Wenderson Araujo/Trilux/Sistema Senar-CNA) (Wenderson Araujo/Trilux/Sistema Senar-CNA/Divulgação)

Da Redação
Da Redação

Redação Exame

Publicado em 24 de outubro de 2023 às 15h05.

Última atualização em 24 de outubro de 2023 às 15h49.

A exportação de ovos brasileiros mais do que triplicou em setembro. Foram 1.524 toneladas embarcadas, considerando produtos in natura e processados, ante 479 toneladas no mesmo mês do ano passado — um aumento de 218%.

Já o faturamento com as vendas externas em setembro totalizou US$ 3,946 milhões, desempenho 137,3% maior que o registrado em igual época do ano anterior (US$ 1,663 milhão). Os dados fazem parte de levantamento divulgado pela Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA).

Leia mais: Exportações de café caem em setembro e clima preocupa, aponta Rabobank

Em 2023, as exportações de ovos cresceram 180,9% em volume e chegaram a 22,6 mil toneladas. Já a receita acumulada com os embarques totaliza US$ 56,3 milhões, o que significa crescimento de 214,1% em relação a 2022.

“Em menos de nove meses, o setor de ovos mais que dobrou os embarques totais realizados nos 12 meses de 2022. A alta expressiva das vendas para mercados de elevados níveis de exigência sanitária foram um diferencial do setor no ano, e espera-se que os mesmos níveis sejam mantidos até o fim de 2023”, avalia o presidente da ABPA, Ricardo Santin.

O destino dos ovos brasileiros

O principal destino das exportações de ovos em setembro foi o Japão, que importou 888 toneladas — volume 922% maior que o total exportado no mesmo mês do ano passado. Outro destaque foi o Chile, que quase quintuplicou as compras e totalizou 237 toneladas.

Projeções anunciadas em agosto pela ABPA indicam que o Brasil exportará 32,5 mil toneladas de ovos neste ano (+240% na comparação com 2022). Já a produção deve ser de 52,55 bilhões de unidades (+1%), enquanto a perspectiva é de que o consumo per capita encerre 2023 em cerca de 242 unidades (+0,5%).

Acompanhe tudo sobre:ProteínasAgronegócio

Mais de EXAME Agro

"Cachorro-quente de flor"? Conheça o sanduíche feito em Holambra, a "cidade das flores"

Safra de café 2024/25 do Brasil: USDA estima 69,9 milhões de sacas — e aumento em exportações

Governo vai financiar plantação de arroz em outros estados, diz Lula

Importação nos portos do Paraná cresce 14% nos cinco primeiros meses de 2024, impulsionada por trigo

Mais na Exame