Verizon vende Yahoo e outras propriedades da AOL por US$ 5 bilhões

Como a conclusão do acordo, Yahoo e AOL passam para o controle da Apollo Global Management

A Verizon sacramentou nesta segunda-feira, 3, a venda das propriedades da AOL e do Yahoo para a Apollo Global Management em uma transação que chegou na casa dos 5 bilhões de dólares. A cifra, apesar de gigante, é cerca da metade dos quase 9 bilhões dólares que foram desembolsados nas companhias em 2016.

Com o par de empresas, vão juntos a área de propaganda e importantes veículos online como TechCrunch e Engadget, que possuem uma relevante produção do conteúdo nas áreas de  tecnologia, gadgets e startups. Para a operadora de telefonia móvel, que ainda ficará com 10% das empresas, trata-se de um bom negócio, pois coloca um fim na traumática experiência que enfrentou no setor de mídia e publicidade digital nos últimos 5 anos. Em 2018, a Verizon havia anunciando que já estava sofrendo com uma baixa de 4,6 bilhões de dólares em 2018. Empresas maiores como Facebook e Google varreram o mercado de publicidade digital e colocaram os investimentos da Verizon em desvantagem.

A compradora, a Apollo Global Management, é uma empresa de capital privado proprietária do resort Venetian em Las Vegas. Além disso, ela é dona da varejista de artesanato Michaels e do conglomerado Cox Media Group, que possui estações de rádio e televisão espalhadas pelos EUA, com sede em Atlanta, capital do estado da Geórgia.

“Estamos entusiasmados em ajudar a desbloquear o enorme potencial do Yahoo e sua coleção incomparável de marcas”, declarou Reed Rayman, parceiro da Apollo Global. Em comunicado, o executivo expressou respeito e admiração pela atuação da Verizon nos últimos anos. Tal como, a nova proprietária está ansiosa para trabalhar com o CEO Gowrappan e acelerar o crescimento da marca Yahoo em seu próximo capítulo.

Período turbulento

O Yahoo, que foi pioneiro na indexação de sites na internet, teve seus últimos anos marcados por oportunidades perdidas. As companhias que mitigaram o seu tamanho, como o Google e Facebook, já foram até mesmo ofertadas ao Yahoo. Em 2005, por exemplo, o Facebook tentou se vender pelo valor de 1 bilhão de dólares, mas Terry Semel, então presidente-executivo do Yahoo, quis pressionar a negociação e ofereceu 850 milhões de dólares, mesmo tendo o caixa liberado para pagar a quantia pedida. E como a história conta, o Facebook seguiu nas mãos de Mark Zuckerberg e deixou o Yahoo para trás.

Os planos de recapultar a marca renascem em 2012, com a CEO Marissa Mayer, ex-Google, que tentou de tudo, mas nada vingou. Em um dos movimentos pensados pela nova presidente, o Yahoo comprou diversos serviços de internet, incluindo o serviço de site e blogs Tumblr. O negócio de 1,1 bilhão de dólares feito em 2013, mas que acabou com uma venda com ares de livramento de apenas 3 milhões de dólares.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.