Tecnologia

Suposto criador diz que nunca tinha ouvido falar de bitcoin

Em comunicado, Dorian Satoshi Nakamoto, apontado pela Newsweek como criador do bitcoin, nega envolvimento e diz que foi prejudicado pela reportagem

Dorian Satoshi Nakamoto afirma em comunicado que nunca havia ouvido falar em bitcoin (Bloomberg)

Dorian Satoshi Nakamoto afirma em comunicado que nunca havia ouvido falar em bitcoin (Bloomberg)

Victor Caputo

Victor Caputo

Publicado em 17 de março de 2014 às 12h12.

São Paulo – Em um comunicado oficial, Dorian Satoshi Nakamoto disse não ter relação nenhuma com bitcoin. O homem foi apontado pela Newsweek como o criador do serviço.

O comunicado foi emitido pelo advogado de Nakamoto. Pelo tom do texto, o engenheiro deve entrar com um processo contra a Newsweek. “Minhas chances de conseguir um emprego remunerado foram prejudicadas por causa do artigo da Newsweek”, afirma ele.

Nakamoto ainda diz que nunca havia ouvido falar do bitcoin até seu filho citar o serviço. Ele havia sido procurado pela jornalista Leah McGrath Goodman, da Newsweek, que lhe perguntou se seu pai era criador do bitcoin.

O comunicado foi publicado no Twitter pelo jornalista Felix Salmon, da agência de notícias Reuters.

O comunicado (na íntegra na próxima página) é assinado por Dorian Satoshi Nakamoto e data de 17 de março de 2014.


Leia abaixo o comunicado na íntegra:

Meu nome é Dorian Satoshi Nakamoto. Eu sou tema da história da Newsweek sobre bitcoin. Eu estou escrevendo este comunicado para limpar meu nome.

Eu não criei, inventei ou trabalhei no bitcoin. Eu nego incondicionalmente a reportagem da Newsweek.

A primeira vez que ouvi o termo “bitcoin” foi do meu filho no meio de fevereiro de 2014. Depois de ser contatado por uma repórter, meu filho me ligou e usou a palavra, que eu nunca havia ouvido antes. Pouco depois, a repórter me confrontou em minha casa. Eu liguei para a polícia. Eu nunca consenti em falar com a repórter. Em uma discussão subsequente com um repórter da Associated Press, eu chamei a tecnologia de “bitcom”. Eu ainda não estava familiarizado com o termo.

Meus antecedentes são em engenharia. Eu também tenho habilidade para programar. Meu emprego mais recente foi para resolver problemas de engenharia elétrica em controle de tráfego aéreo para a FAA [sigla em inglês para Administração Federal de Aviação]. Eu não tenho conhecimento e nunca trabalhei com criptografia, sistemas ponto a ponto ou alternativas monetárias.

Eu não tenho sido capaz de achar um emprego estável de engenheiro ou programador por dez anos. Eu tenho trabalhado como operário, entrevistador para pesquisas e professor substituto. Eu cancelei meu serviço de internet em 2013 por problemas financeiros. Eu estou tentando me recuperar de uma cirurgia na próstata de outubro de 2012 e de um infarto sofrido em outubro de 2013. Minhas chances de conseguir um emprego remunerado foram prejudicadas por causa do artigo da Newsweek.

A falsa reportagem da Newsweek foi fonte de uma grande quantidade de confusão e stress para mim mesmo, para minha mãe de 93 anos, para meus irmãos e para minha família. Eu agradeço sinceramente a todos nos Estados Unidos e no mundo todo que me ofereceram apoio. Eu tenho assessoria jurídica. Este será nosso último comunicado público sobre este assunto. Eu peço que vocês agora respeitem nossa privacidade.

Dorian Satoshi Nakamoto
Temple City, Califórnia
17 de março de 2014

Acompanhe tudo sobre:BitcoinEngenhariaInternetProgramadores

Mais de Tecnologia

Mais 168 cidades podem ter internet 5G a partir de sexta-feira; veja a lista

Carros autônomos: os robotáxis começam a virar realidade para a Waymo, do Google

Empresa chinesa avança em tecnologia quântica com novo termômetro de óxido de rutênio

Vídeos curtos passam a ser a principal fonte de informação dos jovens, alerta relatório

Mais na Exame