Steve Jobs e outros famosos receberão homenagem da Casa Branca

A condecoração Medalha Presidencial da Liberdade é a mais alta honraria civil dos Estados Unidos
Steve Jobs, fundador da Apple: homenagem póstuma será feita pelo presidente Joe Biden (Reprodução/Getty Images)
Steve Jobs, fundador da Apple: homenagem póstuma será feita pelo presidente Joe Biden (Reprodução/Getty Images)
A
AFP

Publicado em 02/07/2022 às 13:41.

Última atualização em 02/07/2022 às 13:45.

O criador da Apple Steve Jobs, o ator Denzel Washington, o falecido congressista John McCain, a jogadora de futebol Megan Rapinoe e a ginasta Simone Biles receberão a Medalha Presidencial da Liberdade, a mais alta honraria civil dos Estados Unidos, anunciou a Casa Branca na sexta-feira, 1.

Eles estão entre os 17 americanos homenageados pelo presidente Joe Biden por "contribuições extraordinárias" para a prosperidade e os valores americanos, a paz mundial ou outros projetos importantes, segundo um comunicado.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME por menos de R$ 11/mês.

Denzel Washington, duas vezes vencedor do Oscar, é conhecido por seus papéis em "Malcolm X" e "Philadelphia". Recentemente, estrelou "A tragédia de Macbeth", lançado em 2021, que lhe rendeu mais uma indicação à estatueta de ouro.

Megan Rapinoe, estrela da seleção de futebol feminino dos Estados Unidos, é "comprometida com a igualdade salarial de gênero, justiça racial e direitos LGBTQI+", afirma a nota.

Entre os escolhidos também se destaca Simone Biles, "a ginasta americana mais condecorada da história" e "grande defensora" da saúde mental de atletas e vítimas de agressão sexual, informou a Casa Branca.

Ela é uma das vítimas de Larry Nassar, ex-médico da equipe de ginástica feminina americana condenado por agredir sexualmente mais de 250 ginastas, a maioria delas menores de idade.

John McCain, candidato presidencial em 2008 e congressista republicano por décadas, que morreu em 2018, será homenageado postumamente, assim como Steve Jobs.

Gabrielle Giffords, sobrevivente de um tiroteio que fez campanha por uma regulamentação rígida das armas, também receberá este prestigioso prêmio, no momento em que o governo Biden tenta combater a violência armada no país.