Tecnologia

Spotify supera Netflix e lidera lista de apps que assinantes não abrem mão

Estudo da Antenna revela que Spotify mantém clientes mais leais do que serviços de vídeo, como Netflix, com uma taxa de cancelamento menor

Daniel Ek: CEO do Spotify (Ilya S. Savenok/Getty Images)

Daniel Ek: CEO do Spotify (Ilya S. Savenok/Getty Images)

André Lopes
André Lopes

Repórter

Publicado em 3 de junho de 2024 às 15h48.

Última atualização em 4 de junho de 2024 às 10h11.

Tudo sobreSpotify
Saiba mais

A Netflix é a maior empresa de streaming pago em quase todos os aspectos. No entanto, seu maior concorrente em termos de fidelidade do cliente não é outro serviço de vídeo, mas sim o Spotify.

Segundo a empresa de pesquisa Antenna, os ouvintes do Spotify são os menos propensos a cancelar o serviço entre as principais plataformas de streaming de áudio ou vídeo. A pesquisa, que se debruçou no mercado dos Estados Unidos, aferiu que, em abril, menos de 1,5% dos usuários do Spotify cancelaram suas assinaturas, e a taxa de churn mensal da empresa se manteve em torno de 2% ao longo do ano, comparável à da Netflix.

Dez anos de Spotify no Brasil: o app que extinguiu a pirataria e virou sinônimo de música

Dois fatores principais explicam o sucesso do Spotify. O primeiro é que os clientes trocam de serviço de áudio com uma frequência muito menor do que trocam de serviço de vídeo. O segundo é que o Spotify atende seus assinantes oferecendo praticamente todas as músicas que eles desejam. Enquanto as pessoas costumam assinar e cancelar serviços de vídeo conforme a disponibilidade de conteúdo, a maioria utiliza apenas um serviço de áudio.

Embora os serviços de áudio ofereçam milhões de músicas organizadas em álbuns e playlists, além de podcasts, a falta de diferenciação tem sido um obstáculo para o aumento de preços. Há receio de que, se o Spotify custar mais do que Apple Music, Amazon ou YouTube, os usuários migrem para outras plataformas. No entanto, isso não se confirmou quando todos os serviços aumentaram os preços simultaneamente no ano passado.

Os usuários do Spotify têm dezenas ou centenas de playlists em sua plataforma preferida, criando custos de mudança significativos. Isso é positivo para a indústria da música, que pressiona por aumentos de preços. Após um aumento bem-sucedido no ano passado, o Spotify planeja novos ajustes este ano.

A Antenna mede contas pagas, o que significa que seus dados podem diferir do que muitas empresas relatam, excluindo usuários em período de teste.

Apesar disso, o desempenho do Spotify em crescimento e taxa de cancelamento supera significativamente o de seus concorrentes. Em um momento em que o crescimento de assinantes está desacelerando em todos os serviços de streaming, o Spotify contrariou essa tendência. A empresa adicionou 113 milhões de usuários no ano passado, incluindo 29 milhões de assinantes pagantes, o que representou seu melhor ano de crescimento de usuários e o segundo melhor em crescimento de assinantes.

Conheça as maiores feiras de tecnologia do mundo

Acompanhe tudo sobre:SpotifyNetflixStreaming

Mais de Tecnologia

Mais 168 cidades podem ter internet 5G a partir de sexta-feira; veja a lista

Carros autônomos: os robotáxis começam a virar realidade para a Waymo, do Google

Empresa chinesa avança em tecnologia quântica com novo termômetro de óxido de rutênio

Vídeos curtos passam a ser a principal fonte de informação dos jovens, alerta relatório

Mais na Exame