Tecnologia

Mark Zuckerberg supera fortuna de Steve Jobs

Com US$ 6,9 bilhões, fundador do Facebook foi o norte-americano que mais fez crescer seu patrimônio no último ano

Mark Zuckerberg: aos 26 anos um dos bilionários mais jovens dos Estados Unidos

Mark Zuckerberg: aos 26 anos um dos bilionários mais jovens dos Estados Unidos

DR

Da Redação

Publicado em 7 de março de 2011 às 10h17.

São Paulo - Com apenas 26 anos de idade e pouco mais de seis anos depois de fundar o Facebook, Mark Zuckerberg conseguiu superar o presidente-executivo da Apple, Steve Jobs, 55, na lista dos mais ricos dos Estados Unidos, divulgada na quarta-feira (22) pela revista Forbes. Com uma fortuna estimada em US$ 6,9 bilhões, Zuckerberg foi o nome cujo patrimônio mais cresceu em um ano - o ganho foi de 245%.

Enquanto o presidente-executivo do Facebook ocupa a 35ª colocação na lista dos 400 mais ricos da Forbes, Jobs ficou na 42ª posição, com uma fortuna estimada em US$ 6,1 bilhões. De acordo com a publicação norte-americana, embora seja mais conhecido como presidente-executivo da Apple, Jobs tem a maior parte de sua fortuna proveniente da participação na Disney que adquiriu em 2006, com a venda da Pixar.

Em 2009, o presidente-executivo da Apple aparecia na 43ª posição no mesmo ranking da Forbes com US$ 5,1 bilhões, ao passo que Zuckerberg ocupava a 158ª colocação, com US$ 2 bilhões.

Mais do que posições no ranking, Zuckerberg e Jobs caminham na direção de uma disputa direta no mundo dos negócios. No início deste mês, a Apple entrou no segmento de redes sociais com o lançamento da plataforma Ping, voltada para a discussão sobre música. O mercado de redes sociais no mundo tem domínio absoluto do Facebook, que este ano passou da marca de meio bilhão de usuários cadastrados.

Ao mesmo tempo, surge a especulação de que o Facebook estaria desenvolvendo um smartphone próprio, em um movimento de invasão a um alvo estratégico da Apple, que tem o iPhone como um de seus produtos de maior sucesso. E segundo boatos, o celular do Facebook rodaria o sistema operacional Android, do Google, principal concorrente do iOS da empresa de Jobs.


No início do mês, a revista Vanity Fair elegeu as 100 pessoas mais influentes da chamada Era da Informação, e Zuckerberg apareceu em primeiro na listagem, à frente, justamente, de Jobs.

Crescimento

A Forbes atribui o crescimento da fortuna de Zuckerberg principalmente a fundos de private equity que o Facebook tem recebido desde o último ano. Ainda sem previsão de IPO (Venda Inicial de Ações), a empresa tem valor estimado de US$ 33,7 bilhões, considerando-se o valor de US$ 76 por ação que já é negociada no mercado secundário.

Ainda segundo a Forbes, o presidente-executivo do Facebook deve anunciar a doação de US$ 100 milhões para escolas públicas da cidade de Newark, no estado norte-americano de Nova Jersey.

Figura controversa, Zuckerberg foi retratado recentemente como um jovem inteligente e tímido, mas ao mesmo tempo ambicioso e controverso, em um perfil produzido pela revista New Yorker. O hoje empresário já recebeu diversas críticas e foi tachado de traidor no livro "The accidental billionaires: the founding of Facebook, a tale of sex, money, genius and betrayal" ("Os bilionários acidentais: a fundação do Facebook, uma história de sexo, dinheiro, genialidade e traição"), de Ben Mezrich.

A história de que o jovem teria roubado a ideia de desenvolver uma rede social de ex-colegas de Harvard, universidade que acabou abandonando, volta à tona à medida que se aproxima a estreia do filme "The Social Network" ("A Rede Social"), dirigido por David Fincher e inspirado no livro de Mezrich. O longa tem previsão entrará em cartaz no dia 1º de outubro nos Estados Unidos e tem previsão de lançamento nos cinemas brasileiros para o dia 3 de dezembro. Zuckerberg já adiantou que não irá assistir à obra.


A decisão de ajudar escolas públicas com a nada modesta doação de US$ 100 milhões, aliás, é vista como uma tentativa de minimizar os prejuízos que o filme pode trazer à sua imagem.

Ricos

De toda a lista dos 400 norte-americanos mais ricos da Forbes, o presidente-executivo do Facebook é o segundo mais novo e um dos oito únicos com menos de 40 anos de idade. O mais jovem é Dustin Moskivitz, cofundador da mesma rede social e que tem apenas oito dias a menos que Zuckerberg. A fortuna de Moskivitz é avaliada em US$ 1,4 bilhão.

Um terceiro nome dentre os mais jovens da lista é do brasileiro Eduardo Saverin, que aparece pela primeira vez no ranking, na 356ª colocação. Saverin também é considerado cofundador do Facebook e se envolveu em uma disputa judicial com a empresa, alegando ter sido passado para trás por Zuckerberg, ex-colega de faculdade.

Liderando a relação da Forbes, está outro empresário do ramo da tecnologia, o cofundador da Microsoft Bill Gates, que figura na mesma posição pelo 17º ano consecutivo, com US$ 54 bilhões. De acordo com a revista, Gates só não é o mais rico de todo o mundo porque é o mais generoso: até agora já doou um total de US$ 28 bilhões de tudo o que acumulou.

Leia outras notícias sobre o Facebook ou sobre a Apple

Siga as notícias de Tecnologia do site EXAME no Twitter

Acompanhe tudo sobre:AppleEduardo SaverinEmpresáriosEmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaFacebookInternetmark-zuckerbergPersonalidadesRedes sociaisSteve JobsTecnologia da informação

Mais de Tecnologia

Novo app permite instalar jogos retrô da Nintendo no iPhone; saiba como

Neuralink, de Elon Musk, fará teste de implante cerebral em novo voluntário

Contra Huawei, Apple corta preço de iPhone na China

TikTok passa a testar vídeos de 60 minutos e acirra disputa com YouTube

Mais na Exame