A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Marcas em destroços do Boeing reforçam suspeita sobre míssil

Bomba a bordo ou míssil? Para os especialistas, as marcas nos destroços indicam que foi mesmo um míssil o que derrubou o Boeing 777 da Malaysia Airlines

São Paulo -- O que derrubou o Boeing 777 da Malaysia Airlines que voava sobre a Ucrânia? A hipótese mais provável, de que o avião tenha sido atingido por um míssil, ganha mais força com a análise de fotos dos destroços.

Já se sabia que o avião não caiu inteiro. O fato de os destroços terem se espalhado por uma área de 15 quilômetros de diâmetro deixa claro que ele explodiu no ar. Mas o que provocou a explosão? Uma bomba a bordo ou um míssil?

O jornal britânico Financial Times mostrou fotos dos destroços a dois analistas de defesa e a um ex-piloto militar. Eles foram unânimes em apontar que as marcas nos destroços são indícios fortes de que o avião foi atingido por um míssil.

“A fuselagem a bombordo do cockpit exibe danos pesados de estilhaços consistentes com o impacto de um míssil SA11”, escreveu Justin Bronk, pesquisador do Royal United Services Institute britânico, no Twitter:

O SA11 é um dos mísseis usados no sistema Buk de defesa antiaérea, empregado tanto pela Rússia como pela Ucrânia e supostamente presente também no arsenal dos rebeldes separatistas que atuam no Leste da Ucrânia.

Até onde se sabe, é o único míssil presente naquela região capaz de derrubar um Boeing 777 em voo de cruzeiro.

Quando esse míssil atinge um avião, ele explode antes de se chocar. A explosão acontece entre 3 e 5 metros de distância da aeronave. A potente carga explosiva produz grande quantidade de estilhaços, que teriam provocado as marcas vistas nos destroços.

Os especialistas ouvidos pelo Financial Times dizem que as fotos indicam que o míssil explodiu à frente do avião, no lado esquerdo, próximo à cabine de pilotagem. Isso também é típico dos mísseis terra-ar. Eles procuram antecipar-se ao avião, atingindo-o à frente.

Veja, no vídeo, mais detalhes sobre o sistema Buk de defesa antiaérea:

[videos-abril id="cc936c9178758485c050105585004ccd" showtitle="false"]

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também