Tecnologia

iPad chegará sexta-feira a nove países da Europa e Ásia

Nova York - O tablet da Apple, o iPad, chegará na próxima sexta-feira a nove países: França, Inglaterra, Canadá, Suíça, Alemanha, Itália, Espanha, Japão e Austrália, depois de ter êxito nos Estados Unidos, onde registrou vendas superiores às previstas. A partir de julho, outro grupo de nove países, entre eles o México, terá acesso ao […]

EXAME.com (EXAME.com)

EXAME.com (EXAME.com)

DR

Da Redação

Publicado em 26 de maio de 2010 às 16h30.

Nova York - O tablet da Apple, o iPad, chegará na próxima sexta-feira a nove países: França, Inglaterra, Canadá, Suíça, Alemanha, Itália, Espanha, Japão e Austrália, depois de ter êxito nos Estados Unidos, onde registrou vendas superiores às previstas.

A partir de julho, outro grupo de nove países, entre eles o México, terá acesso ao mini-computador de tela sensível ao toque.

O iPad, aparelho maior que um telefone ou um iPod, mais versátil que um livro eletrônico e mais portátil que um laptop, ocupou em menos de dois meses um lugar no mercado de eletrônicos para o grande público.

À venda nos Estados Unidos desde 3 de abril, o iPad superou todas as expectativas: bastou um mês para que fossem vendidos mais de 1 milhão de aparelhos, o que representa um desempenho no lançamento melhor que o registrado pelo iPhone, há três anos.

A companhia, co-fundada por Steve Jobs, planejava começar a vender o iPad internacionalmente em abril, mas teve de adiar sua estreia mundial devido à "surpreendente forte demanda americana".

Mike Abramsky, analista da Capital Markets, estima que 200.000 iPads sejam vendidos por semana. Se esse ritmo continuar, isso significará a venda de 8 milhões de tablets este ano no mundo.
 

Acompanhe tudo sobre:AppleÁsiaEuropaiPadiPhoneTablets

Mais de Tecnologia

Alexa, da Amazon, pode subir preço em versão mais inteligente para competir com ChatGPT

CEO da Nvidia ganha US$ 7,6 bilhões em um só dia

Muito tempo no celular? Veja dicas para diminuir seu tempo de tela

Dez anos de Spotify no Brasil: o app que extinguiu a pirataria e virou sinônimo de música

Mais na Exame