Tecnologia

LinkedIn entra com pedido para IPO, pode levantar até US$175 mi

O número de ações que serão emitidas e a faixa de preço estimada ainda não foram informados pelo LinkedIn

LinkedIn (Getty Images)

LinkedIn (Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 28 de janeiro de 2011 às 17h14.

Nova York - O plano do LinkedIn de abrir seu capital este ano pode servir como teste para o apetite dos investidores por sites de redes sociais, antes da aguardada oferta pública inicial de ações (IPO, em inglês) do Facebook.

O LinkedIn anunciou na quinta-feira sua intenção de abrir capital, preparando terreno para que a empresa co-fundada em 2002 por Reid Hoffman, ex-executivo do PayPal, se torne a primeira rede social a fincar sua bandeira em Wall Street.

Nesta sexta-feira, a companhia arquivou pedido junto ao órgão regulador do mercado de capitais norte-americano para um IPO que pode levantar até 175 milhões de dólares.

O número de ações que serão emitidas e a faixa de preço estimada ainda não foram informados pelo LinkedIn.

Muitos investidores, no entanto, aguardarão a oferta do LinkedIn para avaliar o apetite pelo Facebook, avaliado em 50 bilhões de dólares.

"O Facebook claramente atraiu interesse maior pelo setor e creio que haja muita demanda (por mais ofertas de ações de empresas de Internet)," disse Rory Maher, analista da Hudson Square Research.

O interesse dos investidores e as avaliações de companhias de Internet de capital fechado como Facebook, Zynga e Groupon vêm aumentando. O LinkedIn revelou seus planos um dia após as ações da Demanda Media, empresa de Internet que acaba de abrir capital, registrarem alta de 33 por cento na estreia das negociações.

No início desta semana, o presidente-executivo do Groupon, Andrew Mason, disse que a empresa estava estudando a possibilidade de um IPO e que estava conversando com bancos.

O Facebook, maior rede social do mundo, recentemente levantou 1,5 bilhão de dólares, transação que elevou seu valor de mercado a 50 bilhões de dólares.

Recentemente, o Facebook anunciou que deve começar a divulgar seus resultados financeiros até abril de 2012, atendendo uma exigência que passou a valer quando o número de acionistas da empresa ultrapassou determinado limite.

Acompanhe tudo sobre:EmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetempresas-de-tecnologiaFacebookInternetIPOsMercado financeiroRedes sociais

Mais de Tecnologia

Vício em TikTok? O que é 'brainrot' e por que o termo está tão em alta

Mais 168 cidades podem ter internet 5G a partir de sexta-feira; veja a lista

Carros autônomos: os robotáxis começam a virar realidade para a Waymo, do Google

Empresa chinesa avança em tecnologia quântica com novo termômetro de óxido de rutênio

Mais na Exame