Acompanhe:

A balada do Softbank: IPO da Arm é novo desafio do gigante sob pressão

A companhia já investiu US$ 3,5 bilhões em 48 startups latinas e esses investimentos estão avaliados em US$ 6,9 bilhões. No entanto, os negócios feitos na China seguem suspensos e sob escrutínio do governo

Modo escuro

Continua após a publicidade
MASAYOSHI SON: para quem mira o longo prazo, o empresário tem desafios em série no presente | Tomohiro Ohsumi/Getty Images /  (Tomohiro Ohsumi/Getty Images/Getty Images)

MASAYOSHI SON: para quem mira o longo prazo, o empresário tem desafios em série no presente | Tomohiro Ohsumi/Getty Images / (Tomohiro Ohsumi/Getty Images/Getty Images)

D
Da redação, com agências

Publicado em 8 de fevereiro de 2022 às, 06h30.

Última atualização em 8 de fevereiro de 2022 às, 07h41.

Esta reportagem faz parte da newsletter EXAME Desperta. Assine gratuitamente e receba todas as manhãs um resumo dos assuntos que serão notícia.

O Softbank, conglomerado japonês entre os maiores investidores do planeta, volta às manchetes nesta terça-feira, e mais uma vez cercado de muitos bilhões. O Softbank está abandonando a venda da fabricante de chips Arm para a Nvidia, um negócio de 80 bilhões de dólares, alegante problemas regulatórios, e vai partir para uma abertura de capital.

É mais um negócio que mostra um gigante em momentos distintos em diferentes geografias. Desde que começou a investir na América Sul em 2019, o Softbank já despejou em empresas da região cerca de 3,5 bilhões de dólares. Alguns desses investimentos já deram frutos, como a Quinto Andar e VTEX, que quadruplicaram de valor, outros estão próximos disso, como a Unico e Omie, que se tornaram há pouco unicórnios.

Logo, para a gestora que divulga os dados do seu terceiro trimestre financeiro nesta terça-feira, 8, trata-se de um ótimo momento na América Latina, com negócios avaliados em quase 7 bilhões de dólares.

Longe do Atlântico, no entanto, as coisas não vão tão bem. No último balanço, a SoftBank relatou um lucro líquido de ¥ 761,5 bilhões (US $ 6,9 bilhões), uma queda de 39% em relação ao mesmo período do ano passado. A queda segue um lucro de quase 5 trilhões de ienes no ano financeiro passado - o maior da história para qualquer empresa japonesa.

Há 6 meses, sobravam razões para comemorar no conglomerado japonês. O grupo apresentava os resultados trimestrais do primeiro período do ano e havia registrado o maior lucro de uma empresa japonesa até então: foram 46 bilhões de dólares em um ano, surfando a onda das startups que foram a público e abriram capital no período.

As preocupações que seguem a empresa nos resultados de hoje vem da China. Em agosto, o SoftBank Group decidiu suspender seus investimentos no gigante asiático enquanto espera ação regulatória contra as empresas de tecnologia do país, disse o presidente-executivo do grupo, Masayoshi Son.

Quando o conglomerado japonês registrou lucro anual recorde em maio, os executivos apontaram para mais vantagens nos investimentos do Vision Fund, como a empresa chinesa de transporte por aplicativo Didi Global e a startup "Uber para caminhões" Full Truck Alliance.

Essas empresas são listadas em Nova York, mas a ação regulatória chinesa derrubou seus valores de mercado, ressaltando o risco do SoftBank na China, mesmo enquanto o grupo busca reduzir a dependência de seu maior ativo, uma participação na gigante chinesa de comércio eletrônico Alibaba Group Holding.

  • Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam seu bolso.

Últimas Notícias

Ver mais
MRV (MRVE3) segue no prejuízo mesmo com recorde de vendas no 4º tri
seloMercado imobiliário

MRV (MRVE3) segue no prejuízo mesmo com recorde de vendas no 4º tri

Há 13 horas

Com perda de volume e share, Ambev aumenta aposta em Spaten, Corona e Original 
Exame IN

Com perda de volume e share, Ambev aumenta aposta em Spaten, Corona e Original 

Há 17 horas

Resultado misto da Ambev (ABEV3) cai como água no chope para investidores e ações despencam 7%
seloMercados

Resultado misto da Ambev (ABEV3) cai como água no chope para investidores e ações despencam 7%

Há 21 horas

O jogo virou? De olho na Heineken, Ambev avança em cervejas premium com aumento de margem
seloMercados

O jogo virou? De olho na Heineken, Ambev avança em cervejas premium com aumento de margem

Há um dia

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais