MM 2023: a força das cooperativas vem do agronegócio

As cooperativas brasileiras são tracionadas pelo campo e apresentam crescimento de 24% no ano. O destaque foi a Coamo, do Paraná

Coamo: setor agropecuário em alta (Divulgação/Divulgação)
Coamo: setor agropecuário em alta (Divulgação/Divulgação)
Marcus Lopes
Marcus Lopes

Jornalista colaborador

Publicado em 14 de setembro de 2023 às 06h00.

Última atualização em 14 de setembro de 2023 às 07h05.

O movimento cooperativista no Brasil nasceu com a República, em 1889, quando um grupo de trabalhadores mineiros fundou a Cooperativa Econômica dos Funcionários Públicos de Ouro Preto, em Minas Gerais. Mais de 130 anos depois, as cooperativas se consolidam como braço importante da economia nacional. As 14 maiores cooperativas brasileiras atingiram 107 bilhões de reais em receitas líquidas em 2022, um desempenho 24,2% superior ao de 2021, quando a receita foi de 86,1 bilhões de reais. Os ativos totais em 2022 ficaram em 68,95 bilhões de reais, e os lucros somaram 11,2 bilhões de ­reais. A margem líquida foi de 10,51%.

A força cooperativista é tracionada pelo campo. Das dez primeiras colocações, nove são cooperativas do ramo agropecuário. O grande destaque é a Coamo, do Paraná, que novamente lidera o ranking de MELHORES E MAIORES,­ com 26,7 bilhões de reais de receita em 2022, ante os 23,7 bilhões de reais registrados no ano anterior. A vice-liderança é da Comigo, de Goiás, com 15,6 bilhões de reais de receita em 2022. Outros ramos também estão representados na lista das 14 maiores, como a gaúcha Sicredi Participações e a mato-grossense Primacredi, ambas do setor financeiro, e a Cooperativa de Consumo (Coop), de Santo André (SP).

Mais de 20 milhões de cooperados

“As cooperativas agropecuárias formam a base do cooperativismo brasileiro, elas são a nossa âncora fundamental”, afirma o presidente do Sistema OCB (Organização das Cooperativas Brasileiras), Márcio Lopes de Freitas. Segundo ele, as agropecuárias representam cerca de 25% do total de cooperativas no país, mas respondem por mais de 50% da movimentação econômica de todo o sistema cooperativista, que no ano passado foi de 655,8 bilhões de reais, segundo dados do Anuário do Cooperativismo Brasileiro 2023, divulgado pela OCB.

O movimento cooperativista é formado atualmente por 20,5 milhões de cooperados e emprega 524,3 mil trabalhadores, em sete ramos de atividade (agropecuário, crédito, transporte, trabalho e produção de bens e serviços, saúde, consumo e infraestrutura). Até 2027, a meta é movimentar 1 trilhão de reais por ano e agregar 30 milhões de cooperados, além de 1 milhão de trabalhadores.


(Publicidade/Exame)

Mais de Revista Exame

Mais na Exame