• AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
  • AALR3 R$ 20,13 -0.20
  • AAPL34 R$ 68,52 1.72
  • ABCB4 R$ 16,65 0.79
  • ABEV3 R$ 14,21 1.21
  • AERI3 R$ 3,75 5.04
  • AESB3 R$ 10,92 0.74
  • AGRO3 R$ 31,36 0.58
  • ALPA4 R$ 22,15 4.04
  • ALSO3 R$ 18,85 -0.79
  • ALUP11 R$ 26,51 -2.07
  • AMAR3 R$ 2,58 1.57
  • AMBP3 R$ 32,48 4.47
  • AMER3 R$ 21,50 -1.78
  • AMZO34 R$ 3,43 5.09
  • ANIM3 R$ 5,66 3.47
  • ARZZ3 R$ 81,38 2.42
  • ASAI3 R$ 16,30 3.69
  • AZUL4 R$ 20,95 4.38
  • B3SA3 R$ 12,43 4.37
  • BBAS3 R$ 37,45 -0.32
Abra sua conta no BTG

O sabor da fama de Felipe Massa

Uma celebridade na sociedade ajuda um restaurante? À frente do Beefbar, o piloto Felipe Massa aposta nesse modelo
 (Divulgação/Divulgação)
(Divulgação/Divulgação)
Por Daniel SallesPublicado em 12/03/2020 05:15 | Última atualização em 12/03/2020 05:15Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Não deve haver dois ofícios mais distantes um do outro. Como piloto da Fórmula E, modalidade que abraçou em 2018, Felipe Massa precisa manobrar um esportivo elétrico a até 225 quilômetros por hora, acatar as exigências dos patrocinadores e ainda seguir uma rotina puxada de exercícios e alimentação balanceada.

Como sócio de restaurante, o Beefbar, em São Paulo, com inauguração prevista para 20 de março, ele basicamente precisa emprestar seu nome ao empreendimento, deixar o dia a dia com quem entende do negócio e, futuramente, embolsar sua parte dos lucros.

O Beefbar foi fundado pelo restaurateur italiano Riccardo Giraudi em Monte Carlo, no principado de Mônaco, onde o ex-piloto de Fórmula 1 vive há 14 anos. As oito filiais em operação ficam em destinos badalados, como Mykonos e Saint-Tropez. Cliente assíduo da matriz, Massa propôs montar a versão paulistana em parceria com o irmão, Dudu Massa, que ajuda a gerir sua carreira.

Com o sinal verde de Giraudi, a dupla convidou o empresário Ruly Vieira, um dos sócios do Banana Café, para encabeçar o negócio. “O tipo de comida, a experiência e o serviço que o Beefbar proporciona não existem em São Paulo”, diz Massa.

Carnes e entradas de inspiração mexicana | Divulgação

A novidade vai ocupar um imóvel na mesma rua do D.O.M., do chef Alex ­Atala, nos Jardins. Como o nome indica, o foco são as carnes mais incensadas, como o wagyu japonês, o kobe beef e o black angus argentino. Os cortes chegam à mesa com uma cobertura crocante e interior suculento e também são usados no preparo de entradas de inspiração chinesa e mexicana.

Os drinques serão assinados pelo bartender Fabio La Pietra, o mesmo do SubAstor, e coube às arquitetas Georgia Loverdos, Carina Cogo e Maria Clara Spyer a responsabili­dade de replicar a decoração requintada das demais unidades. O valor investido é mantido em sigilo.

É de perguntar se a presença de uma celebridade no quadro societário ajuda a fazer do restaurante um sucesso. “Como estratégia de marketing é ótimo, o problema é que normalmente quem busca esse tipo de sócio não se preocupa com a qualidade da entrega”, opina o chef e consultor Marcos Lee.

Nessa lista estão Robert De Niro, sócio da rede Nobu, com 40 restaurantes e 11 hotéis, e Bruno Gagliasso, do Le Manjue Organique e das filiais brasileiras das redes Burger Joint e Bagatelle. O mérito dessas ótimas casas é dos respectivos chefs. Mas os holofotes estão nos donos.