MELHORES E MAIORES 50 anos: Votorantim constrói crescimento além das fronteiras

A Votorantim Cimentos chega aos 87 anos com 40% da receita vinda de fora do Brasil

Votorantim Cimentos: o faturamento quase triplicou nos últimos dez anos (Divulgação/Divulgação)
Votorantim Cimentos: o faturamento quase triplicou nos últimos dez anos (Divulgação/Divulgação)
Guilherme Guilherme
Guilherme Guilherme

Repórter de Invest

Publicado em 14 de setembro de 2023 às 06h00.

Última atualização em 14 de setembro de 2023 às 06h48.

Osvaldo Ayres Filho tinha acabado de entrar na Votorantim Cimentos quando a companhia foi capa da edição de MELHORES E MAIORES, da EXAME, em 2000. Premiada, a Votorantim Cimentos tinha a missão de, literalmente, fornecer o concreto para colocar de pé as obras que construiriam o novo Brasil. Naquele ano, o PIB brasileiro cresceria 4,4% e seria sucedido por oito anos de expansão.

A mudança também ocorria da porta para dentro da Votorantim Cimentos, que passava por uma sucessão em seu comando. Hoje, 23 anos depois, é Ayres Filho quem, como CEO, conduz a constante evolução da companhia de 87 anos e 13.000 funcionários. “Aquela capa, que dizia que a Votorantim era feita para durar, traduz a perenidade do nosso negócio”, afirma.

Pouco depois daquela capa de 2000, em 2003 a Votorantim voltaria a ser escolhida como a melhor empresa dos 30 anos de MELHORES E MAIORES. Outro gigante do grupo Votorantim, a Companhia Brasileira de Alumínios (CBA) foi vencedora de -MELHORES E MAIORES de 1983. Ao todo, o grupo Votorantim ostenta nove títulos entre gerais e por setor, sendo o maior vencedor da categoria Indústria da Construção.

MELHORES E MAIORES 50 anos: Votorantim, vencedora histórica, constrói crescimento com inovação

Cimento, concreto e argamassas continuam como peças fundamentais no planejamento estratégico da companhia. Mas os atuais negócios da Votorantim Cimentos vão muito além, tanto nas fronteiras como nos negócios. São 11 os países de atuação da empresa, com 40% da receita atrelada aos estrangeiros. A diversificação de portfólio também se fez presente, com as frentes de soluções agrícolas e de logística ganhando relevância. “Perenidade e transformação fazem parte do nosso DNA”, diz Ayres Filho.

Nos últimos dez anos, as receitas da Votorantim Cimentos quase triplicaram, passando de 9,5 bilhões de reais em 2012 para 25,8 bilhões de reais em 2022. Esse faturamento segue crescendo em 2023, com alta de 9,5% no primeiro semestre em relação ao mesmo período do ano passado.

Apesar dos números crescentes, a expansão pela expansão não faz parte dos planos da Votorantim Cimentos, que, cada vez mais, tem tornado a sustentabilidade uma peça central de seu modelo de negócios. Nos balanços, os gastos com meio ambiente têm saído da linha das provisões para a de investimentos. A meta, afirma Ayres Filho, é descarbonizar todas as operações da companhia até 2030. “Nós nos definimos hoje como uma empresa de material de construção e soluções sustentáveis”, diz.

Acompanhe tudo sobre:MM2023

Mais de Revista Exame

Mais na Exame