Revista Exame

MELHORES E MAIORES 50 anos: Semp e Mahle Metal Leve se aliaram a gigantes globais

A história mostra que a Semp e a Mahle Metal Leve conseguiram se adaptar nas décadas seguintes

Indústria: inovação é essencial num mundo em transformação acelerada. (Ed Ferreira/Agência Estado)

Indústria: inovação é essencial num mundo em transformação acelerada. (Ed Ferreira/Agência Estado)

Gilson Garrett Jr.
Gilson Garrett Jr.

Repórter de Casual

Publicado em 14 de setembro de 2023 às 06h00.

Última atualização em 14 de setembro de 2023 às 07h09.

Na edição de estreia de MELHORES E MAIORES, em 1974, o Brasil vivia o início de uma era pós-milagre econômico, com a taxa média de crescimento de 11% ao ano e grande industrialização. Protagonista de um dos setores mais fortes na época, o automobilístico, a Mahle Metal Leve foi a primeira campeã do anuário. A reportagem da EXAME trazia uma foto de José Mindlin, histórico empresário e fundador da então chamada Metal Leve.

De lá para cá, a companhia foi escolhida a melhor do ano em duas ocasiões, além de ter sido a melhor empresa de bens de capital em outras nove oportunidades, o suficiente para ser a campeã histórica de sua categoria nestes 50 anos de MELHORES E MAIORES, da EXAME.

A história mostra que a empresa conseguiu se adaptar nas décadas seguintes. “Ao longo do tempo fomos flexíveis e capazes de ajustar as estratégias de acordo com as flutuações econômicas”, detalha Sergio Pancini de Sá, CEO da Mahle Metal Leve.

A alemã Mahle tinha apenas uma fábrica de pistões no Brasil até 1996, quando comprou a Metal Leve. A estratégia da aquisição foi fundamental para garantir a longevidade da companhia. No mundo, um em cada dois veículos está equipado com componentes Mahle. Sergio Pancini de Sá explica que a inovação está no grupo de pilares estratégicos da empresa. “A capacidade de integrar inovações tecnológicas de maneira sustentável impulsiona a empresa e ainda garante sua viabilidade no longo prazo”, diz.

Parcerias estratégicas

Em outra frente, no mesmo segmento industrial, a Semp TCL precisou se adaptar constantemente para se destacar em MELHORES E MAIORES na categoria Eletroeletrônicos, em que é a mais premiada da história, com dez conquistas no total.

A primeira vez que a Semp TCL apareceu no anuário foi em 1993. Ainda como Semp Toshiba, em uma união com o gigante japonês datada desde 1977, a companhia foi a grande vencedora do MELHORES E MAIORES de 1996. “Nossa busca constante por atualização de equipamentos, entrada em novas categorias, investimentos e parcerias relevantes nos fizeram crescer no mercado nacional e evoluir com o Brasil”, diz Felipe Hennel Fay, CEO da Semp Amazonas e acionista da Semp TCL .

Em 2016, a Toshiba deixou a parceria com a Semp e se uniu à chinesa TCL em uma joint venture, originando a Semp TCL. A companhia tem o desafio de continuar inovando em um mundo em constante transformação — um desafio, também, de toda a indústria nacional.

Acompanhe tudo sobre:MM2023

Mais de Revista Exame

Nove itens essenciais para equipar a sua adega

De Ferraz de Vasconcelos a Seattle

Vira-latismo

Venda de vinhos premium no Brasil escapa de crises e deve crescer

Mais na Exame