Acompanhe:
seloRevista Exame

Melhora na saúde pública requer crescimento econômico

Um estudo mostra que um aumento da renda média dos brasileiros ajudaria a reverter a tendência de elevação dos gastos públicos com saúde

Modo escuro

Continua após a publicidade

	Medicamentos: sem uma reação na economia, será difícil superar os problemas da saúde pública no Brasil
 (Miguel Medina/AFP)

Medicamentos: sem uma reação na economia, será difícil superar os problemas da saúde pública no Brasil (Miguel Medina/AFP)

G
Gladinston Silvestrini

Publicado em 12 de agosto de 2015 às, 18h40.

São Paulo - Retomar o crescimento do Brasil é uma tarefa que precisa ser encarada com urgência — e não se trata apenas de aumentar as oportunidades para as empresas, reaquecer o mercado de trabalho e pôr o país de volta nos trilhos.

Alguns dos problemas que vão nos afligir nos próximos anos serão mitigados apenas com a melhora da economia. Um exemplo vem da saúde pública. De acordo com um estudo do Centro para o Desenvolvimento Global — instituição com sede nos Estados Unidos, dedicada a pesquisar os efeitos das políticas públicas nos países em desenvolvimento —, o aumento da renda média dos brasileiros ajudaria a reverter a tendência de elevação dos gastos públicos com saúde.

O trabalho mostra que, ao ritmo atual, em duas décadas as despesas nessa área passariam dos atuais 8% do PIB para perto de 14% do PIB. Um crescimento da renda per capita de 3% ao ano, porém, faria a conta diminuir para menos de 6% do PIB no mesmo período.

A explicação é que, quanto maior a renda das famílias, mais as pessoas investem recursos próprios em tratamento e prevenção de doen­ças. Isso resulta em menos pressão sobre os custos da saúde pública.

Fatores que podem aumentar os custos

Uso intensivo de tecnologia — Os investimentos em pesquisa e desenvolvimento de novas tecnologias para o tratamento de doenças são repassados aos custos da saúde.

Envelhecimento da população — A proporção de pessoas com mais de 65 anos na população vai crescer nas próximas duas décadas, elevando os gastos com o tratamento de doenças relacionadas ao envelhecimento.

Fatores que podem baixar os custos

Participação no mercado de trabalho — Um aumento na participação da população no mercado de trabalho leva à expansão da renda, o que diminui a pressão sobre a saúde pública.

Hábitos mais saudáveis — A disseminação de hábitos mais saudáveis entre a população conteria o aumento nos custos da saúde pública.

Uma economia em bom estado serve de antídoto para combater a tendência de expansão dos gastos com saúde pública. Os dados mostram um aspecto dos obstáculos que ainda separam o Brasil da posição de um país rico. Sem uma reação na economia, será difícil superá-los.

Últimas Notícias

Ver mais
Anvisa mantém proibição de cigarros eletrônicos no país
Brasil

Anvisa mantém proibição de cigarros eletrônicos no país

Há 2 dias

Rendimento médio real do brasileiro supera nível pré-pandemia e chega a R$ 2.846 em 2023
Economia

Rendimento médio real do brasileiro supera nível pré-pandemia e chega a R$ 2.846 em 2023

Há 2 dias

Abraham Loria: Projeto de regulamentação da tributária está praticamente pronto
Economia

Abraham Loria: Projeto de regulamentação da tributária está praticamente pronto

Há 3 dias

Botulismo: o que é a doença contraída por brasileira internada nos EUA
Pop

Botulismo: o que é a doença contraída por brasileira internada nos EUA

Há 4 dias

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais