Startup fatura R$ 3,5 mi criando apresentações e vídeos para marcas

A brasileira PPT Go, fundada em 2016, criou uma ferramenta que facilita a criação de apresentações em slide e vídeos interativos

Erick Vaitkievicius, Rodolfo Gomes e Lucas Nocete, fundadores da PPT Go: entre os clientes da startup estão marcas como Claro, Ambev e Pepsico (Bruno Mooca/PPT Go/Divulgação)
Erick Vaitkievicius, Rodolfo Gomes e Lucas Nocete, fundadores da PPT Go: entre os clientes da startup estão marcas como Claro, Ambev e Pepsico (Bruno Mooca/PPT Go/Divulgação)
CI

Carolina Ingizza

Publicado em 15 de novembro de 2020 às 14h30.

Última atualização em 22 de novembro de 2020 às 21h15.

Em 2016, três amigos se juntaram na varanda de casa para tentar revolucionar o mercado de apresentações corporativas. Rodolfo Gomes, Lucas Nocete e Erick Vaitkievicius deixaram suas carreiras executivas para empreender criando uma plataforma online que facilita o processo de criação de apresentações de slides para empresas, um mercado atendido normalmente por agências de marketing.

“A nossa ideia era permitir que os clientes pudessem explicar seus pedidos, pagar e receber as apresentações de forma 100% online”, diz Gomes. Sem os custos dos encontros presenciais, a empresa consegue oferecer preços e prazos de entrega menores.

Com a estratégia, a startup conquistou mais de 5.000 clientes, entre eles grandes empresas como Ambev, Pepsico e Claro. Segundo Gomes, o custo por apresentação varia de 1.200 a 30.000 reais, a depender do número de slides e do prazo de entrega.

Em 2017, percebendo que as apresentações customizadas estavam fora do orçamento de profissionais autônomos e pequenas empresas, a PPT Go criou uma plataforma com slides pré-prontos. Para acessar esse serviço, é preciso pagar uma assinatura mensal de 29,90 reais. Nessa modalidade, a companhia acumula 3.100 assinantes ativos.

No mercado de apresentações, a empresa disputa espaço com a brasileira Soap e as estrangeiras Envato e Canva. “Nosso principal diferencial é o nosso banco de slides e templates, que permite que o cliente combine elementos de diferentes apresentações”, diz Vaitkievicius.

O negócio teve um faturamento de 2,1 milhões de reais em 2019 e projeta faturar 3,5 milhões de reais este ano. A principal aposta da startup agora é em um mercado aquecido pela pandemia: o de vídeos. “Desde 2018 estamos trabalhando em uma solução para o mercado de vídeos, que já era responsável por 82% do tráfego da internet em 2016”, afirma Gomes.

A empresa criou um software para criação de vídeos interativos, em que o expectador pode determinar o rumo da narrativa, assim como nos episódios especiais das séries da Netflix Black Mirror e Unbreakable Kimmy Schmidt.

Diferentemente das produções do showbusiness americano, os vídeos da PPT Go são usados por empresas que querem criar uma relação mais próxima com os consumidores — inclusive vendendo pelo vídeo. A União Bandeirante de Educação (UNB), por exemplo, usou a solução em um vestibular online interativo.

A startup, que tem 16 funcionários, acredita que o novo produto vai ser o carro-chefe do crescimento no próximo ano, em que projeta faturar 5 milhões de reais. O desafio agora, de acordo com Gomes, é conseguir escalar o negócio sem perder a eficiência. 

 

 

 

Mais de PME

Mais na Exame