PME

Qual é a formação ideal para um empreendedor?

Sala de aula pode ajudar a despertar empreendedores em potencial

Caderno (Stock.xchng)

Caderno (Stock.xchng)

DR

Da Redação

Publicado em 2 de março de 2011 às 14h32.

Qual é a formação ideal para um empreendedor?
Respondido por Yuri Gitahy, especialista em startups

São Paulo - Empreendedores não nascem prontos, mas os realmente eficientes são fortemente moldados pelas suas experiências e situações em família, em casa e na escola e ao longo de sua infância e adolescência. Características típicas dos empreendedores de alto impacto, como persistência, foco e pensamento rápido são impossíveis de serem ensinadas e difíceis de serem treinadas - mas irão se manifestar ao longo do tempo, em cada situação que as estimulem. Cabe ao empreendedor saber gerenciá-las e canalizá-las na direção do crescimento de seus projetos.

Se todas as faculdades brasileiras tivessem um semestre de Empreendedorismo no 3.o ou 4.o ano de cursos superiores - ou tivessem uma entidade parceira que desse esse curso - teríamos um número muito maior de alunos preparados para empreender. Cursos como esses têm um bom histórico em despertar empreendedores em potencial.

O trabalho do Sebrae na educação é importantíssimo e já cobre muito bem as empresas nascentes (inclusive com aulas à distância), mas ainda não consegue capacitar jovens empreendedores criando startups de tecnologia no quarto dos fundos. É difícil ensinar gestão ou planos de negócios para programadores de 18 anos, e provavelmente não serão eles os futuros gestores de suas próprias empresas. O Empretec é uma excelente alternativa para cobrir esse gap, mas ainda é difícil trazer um jovem da geração Y, altamente produtivo e criando uma empresa em seu computador, para fazer um curso como esse.

Os melhores resultados na formação empreendedora vêm de três cenários: a auto-educação ao dar os primeiros passos como empreendedor; trabalhar muito próximo a empreendedores de alto impacto; e por último, cercar-se de outros empreendedores em situação similar, para a troca de experiências. Educação formal, como o Empretec, MBA ou outros cursos em empreendedorismo, apenas darão ferramentas para que essas experiências sejam mais eficientes.

Avalie bem sua posição, e veja o que atende melhor sua formação.

 

Yuri Gitahy é investidor-anjo, conselheiro de empresas de tecnologia e fundador da Aceleradora, que apoia startups com gestão e capital semente

Envie suas dúvidas sobre startups para examecanalpme@abril.com.br./h5>


Acompanhe tudo sobre:dicas-de-empreendedorismodicas-para-seu-negocioEmpreendedoresEmpreendedorismoPequenas empresasStartups

Mais de PME

Mais na Exame