Acompanhe:

Bolsonaro deve sancionar lei que impede cortes de recursos à inovação

Legislação impede bloqueio do FNDCT, fundo público à inovação. Em 2020, dos 7 bilhões de reais do fundo, só 13% estão disponíveis para uso

Modo escuro

Continua após a publicidade
Vista aérea do acelerador de partículas Sirius, em Campinas (SP): projeto financiado pelo FNDCT, fundo que teve 25 bilhões de reais retidos desde 2010, segundo cálculo da CNI (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM)/Divulgação)

Vista aérea do acelerador de partículas Sirius, em Campinas (SP): projeto financiado pelo FNDCT, fundo que teve 25 bilhões de reais retidos desde 2010, segundo cálculo da CNI (Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM)/Divulgação)

L
Leo Branco

Publicado em 5 de janeiro de 2021 às, 06h30.

Última atualização em 5 de janeiro de 2021 às, 07h28.

O governo federal deve sancionar nesta semana uma legislação tida como essencial para garantir recursos à inovação no país. O projeto de lei 135, do senador Izalci Lucas (PSDB-DF) impede a retenção de verbas destinadas ao Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, o FNDCT. O tema foi aprovado pelo Congresso em dezembro e aguarda a assinatura do presidente Jair Bolsonaro para virar lei.

O que os empreendedores de sucesso têm em comum? Inovação será a chave de 2021. Fique por dentro em nosso curso exclusivo

Esse fundo é atualmente a principal fonte de recursos públicos para projetos inovadores no país. Criado em 1969, o FNDCT arrecada recursos da indústria e, gerenciado pela autarquia federal Finep, distribui o dinheiro a institutos de pesquisa e empresas brasileiras, em particular as de pequeno e médio porte, com programas de pesquisa e desenvolvimento.

Entre os projetos financiados pelo Fundo estão o Sirius, um dos aceleradores de partículas mais modernos do mundo, sediado em Campinas, no interior paulista, além de uma tecnologia de automação robotizada criada pela fabricante de aviões Embraer e pelo Instituto Tecnológico de Aeronáutica, o ITA.

Entre 1999 e 2019, o Fundo arrecadou 62,2 bilhões de reais. Historicamente, os recursos sofrem bloqueios para a União fazer caixa em períodos de rombo nas contas públicas como agora. Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), cerca de 25 bilhões de reais do FNDCT foram retidos desde 2010.

Em 2020, dos quase 7 bilhões de reais arrecadados pelo fundo para investimentos em pesquisa, apenas 13% está disponível para uso. Mais de 4,6 bilhões de reais estão retidos nos cofres do governo federal. "Liberar recursos para inovação é essencial num momento como o atual, em que o país busca maneiras de retomar uma economia abatida pela pandemia", diz Gianna Sagazio, diretora de inovação na CNI.

Ao que tudo indica o financiamento à inovação também é um dilema nos estados. Em dezembro, um projeto de lei aprovado pelos deputados estaduais de São Paulo autorizou a desvinculação de receitas de estados e municípios para o orçamento da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo, a Fapesp, principal órgão de fomento à inovação entre pesquisadores paulistas.

Com isso, a Fapesp perderia 30% de seus recursos, o equivalente a 454 milhões de reais. Nesta segunda-feira, 4, contudo, o governador paulista João Doria (PSDB) anunciou a suspensão desses cortes.

Antes da pandemia, o Brasil gastava pouco com inovação na média internacional. Em 2018, o país gastou pouco mais de 1% do PIB com o tema, bem abaixo de países tidos como inovadores, a exemplo de Coreia do Sul e Israel. Por lá, os desembolsos para o tema superam 4% do PIB, segundo dados da Organização das Nações Unidas.

 

De 0 a 10 quanto você recomendaria Exame para um amigo ou parente?

 

Clicando em um dos números acima e finalizando sua avaliação você nos ajudará a melhorar ainda mais.

 

Mais lidas em Inovação

Últimas Notícias

Ver mais
Encontrados os 261 móveis do Palácio da Alvorada que Lula disse terem sido levados por Bolsonaro
Brasil

Encontrados os 261 móveis do Palácio da Alvorada que Lula disse terem sido levados por Bolsonaro

Há 2 semanas

Petrobras anuncia na CeraWeek que vai perfurar 2 poços em Tayrona, na Colômbia
Brasil

Petrobras anuncia na CeraWeek que vai perfurar 2 poços em Tayrona, na Colômbia

Há 2 semanas

Antecipação do 13º do INSS vai injetar R$ 66 bilhões na economia e beneficiar 33 milhões de pessoas
Economia

Antecipação do 13º do INSS vai injetar R$ 66 bilhões na economia e beneficiar 33 milhões de pessoas

Há 3 semanas

Indústria pede que STF analise ação contra isenção de imposto para compras de até US$ 50
Economia

Indústria pede que STF analise ação contra isenção de imposto para compras de até US$ 50

Há 2 meses

Continua após a publicidade
icon

Branded contents

Ver mais

Conteúdos de marca produzidos pelo time de EXAME Solutions

Exame.com

Acompanhe as últimas notícias e atualizações, aqui na Exame.

Leia mais