Batalha de Startups: o reality show que nasce com programa de aceleração

O programa, transmitido pela RecordNews, foi criado com a aceleradora de negócios InovaHub, com sede em São Paulo, que irá mentorar as startups vencedoras
Gustavo Souza, Reginaldo Pereira e Ravi Gama, do InovaHub: empresas que participam do reality podem receber prêmio de 1 milhão de reais mais investimento de até 1,5 milhão após o programa de aceleração (InovaHub/Matheus Calaça/Divulgação)
Gustavo Souza, Reginaldo Pereira e Ravi Gama, do InovaHub: empresas que participam do reality podem receber prêmio de 1 milhão de reais mais investimento de até 1,5 milhão após o programa de aceleração (InovaHub/Matheus Calaça/Divulgação)
Por Carolina IngizzaPublicado em 08/12/2020 15:20 | Última atualização em 08/12/2020 17:42Tempo de Leitura: 4 min de leitura

Como tornar o universo de startups mais acessível ao público? Foi a partir dessa pergunta que o empreendedor Reginaldo Pereira, idealizador do programa Inova360, da RecordNews, decidiu criar um reality show competitivo com startups. Enquanto no Inova360, no ar desde 2016, são contadas histórias inspiradoras de empreendedorismo, no novo reality show Batalha de Startups os empreendedores disputam entre si para ver qual startup merece o prêmio milionário. No total, serão investidos pelo programa 9 milhões de reais em aceleração e mídia.

“Meu sonho é que o empreendedorismo seja visto pelos jovens como um esporte. Queremos que a audiência acompanhe a trajetória de cada startup, queremos criar ídolos do empreendedorismo tão adorados quanto jogadores de futebol”, afirma Pereira.

O programa foi lançado no dia 5 de outubro e está qualificando as empresas participantes até o dia 18 de dezembro. Serão selecionadas, no total, 16 startups para a fase de batalhas. Nos meses de janeiro e fevereiro, elas vão disputar para ver quem é a melhor nos setores de finanças, blockchain, varejo, mercado feminino, esportes, agronegócio, saúde e educação.

Os jurados analisam, dentro de cada segmento, qual empresa tem a solução mais inovadora e os melhores indicadores (custo de aquisição do cliente e valor de mercado, por exemplo).

Entre os convidados para a banca estão nomes como Thiago Chueiri, diretor de desenvolvimento de negócios do PayPal; Eduardo Brunoro, diretor geral do Grupo TPV (Philips e AOC); Alexandre Velilla Garcia, presidente do Cel.Lep; e Eliana Cassandre, head de marketing do Grupo Petrópolis. Marcas como TNT, Lenovo e NuvemShop patrocinam o programa.

Aceleração com nomes de peso

O diferencial do Batalha de Startups é que ele já nasce conectado a uma nova aceleradora de negócios, a InovaHub, comandada por Ravi Gama, um dos fundadores da empresa 2FIND e especialista em gestão. A aceleradora, com sede na região da Avenida Paulista, em São Paulo, irá mentorar as oito vencedoras do reality show e outras startups selecionadas por fora. A ideia é que haja entre 10 e 32 empresas por turma.

Para poder atender empresas do Brasil todo, o InovaHub funciona em um modelo híbrido, com uma plataforma virtual para as aulas e 200 estações de trabalho em São Paulo caso as aceleradas precisem. No total, são quatro meses com 20 horas semanais de cursos por semana. Entre os mentores selecionados, estão nomes do mercado, como Dennis Wang, da Joá Investimentos; Orlando Cintra, da BR Angels; Igor Mascarenhas, presidente da Pier; e Yuri Ramos, diretor no Massachusetts Institute of Technology (MIT).

Ao final do programa, as startups poderão receber um cheque de 500.000 a 1,5 milhão de reais da gestora Bertha Capital, que administra fundos de companhias como Microsoft, Grupo Sabin e Multilaser, e é uma das criadoras do espaço de inovação.

“Buscamos negócios que ajudem na transformação digital das grandes empresas da nossa gestora. Acreditamos em processos de gestão ativa de startups, com educação empreendedora e mentorias para desenvolver bons negócios”, diz Gustavo Souza, sócio da Bertha.

Também são sócios do InovaHub os investidores Geraldo Marques e Edson Monteiro, além de Jorge Iazigi, presidente e diretor financeiro do Grupo Emepar. No total, os sócios investiram 5 milhões de reais na infraestrutura do projeto, que nasce com valuation de 36 milhões de reais.

Iazigi, do Grupo Emepar, tem a expectativa de quase triplicar esse valor após o encerramento do primeiro ciclo do Batalha de Startups. “No dia 26 de fevereiro teremos oito campeãs na casa. Nossa expectativa é que após essa data, o valuation do InovaHub passe para 100 milhões de reais”, afirma o executivo. Em cinco anos, a meta é ter 90 startups aceleradas.

As inscrições para participar do Batalha das Startups podem ser feitas pelo site. Só podem se inscrever empresas que tenham pelo menos um primeiro produto ativo no mercado.