Acordo pode facilitar globalização de franquias

Parcerias com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, a APAS e a Infraero devem alavancar o setor em 2010
Expansão: os aeroportos também podem alavancar o setor de franquias (.)
Expansão: os aeroportos também podem alavancar o setor de franquias (.)
P
Priscila ZuiniPublicado em 10/10/2010 às 03:34.

São Paulo - A Associação Brasileira de Franchising está estudando um acordo com Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior para regularizar a lei de franquias e facilitar a internacionalização das empresas franqueadoras brasileiras. De acordo com o presidente da associação, Ricardo Bomeny, atualmente 65 empresas exportam para 49 países. "A expectativa para 2010 é que sejam 80 empresas exportando para 50 países", afirma. Os setores que mais exportam são calçados, moda, softwares e alimentação.

Além disso, o diretor executivo da associação, Ricardo Camargo, disse que existe um esforço no setor de franquias para levar as operações a mercados diferentes. Para isso, a ABF está estudando uma parceria com a Associação Paulista de Supermercados, a APAS, para intensificar a instalação de franquias em supermercados. "A ideia é levar as franquias para regiões que não tem shoppings centers, como o interior e a periferia", disse.

Já pensando nos eventos esportivos que o Brasil deve receber nos próximos anos, a associação está em negociando com a Infraero para facilitar e aumentar a quantidade de franquias instaladas nos aeroportos. Bomeny acredita também que os estádios de futebol tem potencial para receber lojas. "Queremos criar verdadeiros shoppings acoplados aos estádios, o que já é uma tendência no mundo", afirma. No Brasil, já existem franquias de alimentação e de livrarias dentro de alguns estádios, como o Morumbi, em São Paulo.

O setor de franquias faturou 63 bilhões de reais em 2009 e prevê um crescimento de 18% para 2010. Além disso, os 80 mil pontos de venda atuais devem aumentar em 10% com a chegada de 150 novas empresas franqueadoras. Os setores que mais cresceram em 2009 foram acessórios pessoais e calçados e vestuário. Para este ano, a tendência são os mercados de chocolate, frozen yogurt e serviços em geral.